Membro da missão da OMS diz que é "extremamente improvável" que COVID-19 tenha escapado do laboratório de Wuhan

2021-02-23 19:40:12丨portuguese.xinhuanet.com

Sydney, 23 fev (Xinhua) -- É "extremamente improvável" que o SARS-CoV-2, que causa a COVID-19, tenha escapado de um laboratório na cidade chinesa de Wuhan, afirmou nesta segunda-feira o professor da Universidade de Sydney, Dominic Dwyer, membro da equipe de especialistas da Organização Mundial da Saúde (OMS) enviada para a China em uma missão de rastreamento de origem da doença.

"A opção mais politicamente sensível que analisamos foi o vírus ter escapado de um laboratório", relatou ele em um artigo na The Conversation, uma editora de notícias e análises baseadas em pesquisa. "Concluímos que isso é extremamente improvável."

O Instituto de Virologia de Wuhan "é uma instalação de pesquisa impressionante e parece ser bem operado, com devida atenção à saúde dos funcionários", afirmou Dwyer. O professor foi informado que amostras de sangue dos cientistas são rotineiramente tomadas e armazenadas, e "nenhuma evidência de anticorpos ao coronavírus foi encontrada", acrescentou.

Segundo Dwyer, um grupo de epidemiologia clínica dentro da equipe analisou um grande número de dados e informações relativas e "não descobriu nenhuma evidência clara de circulação substancial da COVID-19 em Wuhan durante o período final de 2019 antes do primeiro caso".

"Conversamos com nossos pares chineses - cientistas, epidemiologistas, médicos - ao longo das quatro semanas da missão da OMS na China. Estivemos em reuniões com eles por até 15 horas por dia, então nos tornamos colegas, até amigos", revelou Dwyer. "Isso nos permitiu construir respeito e confiança de uma maneira que você não poderia necessariamente fazer via zoom ou e-mail", observou.

O especialista australiano disse que a origem mais provável do vírus é animal, mas não necessariamente de um mercado em Wuhan. "Provavelmente passou aos seres humanos de morcegos, através de um animal intermediário ainda desconhecido em uma localização desconhecida", destacou ele, acrescentando que os especialistas "ainda estão trabalhando para confirmar a cadeia exata dos eventos que levaram à pandemia atual".

Dwyer disse que a missão da OMS foi apenas fase uma da investigação. "Os pesquisadores também olharão mais a fundo os dados, a fim de investigar evidências de que o vírus estava circulando na Europa, por exemplo, no início de 2019", acrescentou.

"Os investigadores continuarão a testar a vida selvagem e outros animais na região por sinais do vírus", garantiu ele. "E vamos continuar a aprender com nossas experiências para melhorar a maneira como investigaremos a próxima pandemia." Fim

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001397616971