Crise do Texas expõe vulnerabilidade dos EUA às mudanças climáticas, segundo mídia

2021-02-23 15:15:33丨portuguese.xinhuanet.com

Nova York, 21 fev (Xinhua) - Enquanto o estado do Texas, no sul dos Estados Unidos, lutava para restaurar a eletricidade e a água na semana passada, os sinais dos riscos impostos por condições climáticas cada vez mais extremas à infraestrutura envelhecida da América estavam aparecendo em todo o país, relatou The New York Times no domingo.

As tempestades de inverno que se estendem por continentes durante a semana provocaram apagões no Texas, Oklahoma, Mississippi e vários outros estados. Um terço da produção de petróleo do país foi interrompido. Os sistemas de água potável em Ohio foram desligados. As redes rodoviárias em todo o país foram paralisadas e os esforços de vacinação em 20 estados foram interrompidos, segundo o relatório.

A crise traz um profundo aviso. À medida que a mudança climática traz tempestades, inundações, ondas de calor, incêndios florestais e outros eventos extremos mais frequentes e intensos, ela está colocando uma pressão crescente nos fundamentos da economia do país: sua rede de estradas e ferrovias, sistemas de água potável, usinas de energia, eletricidade redes, depósitos de resíduos industriais e até residências, de acordo com o relatório.

"Falhas em apenas um setor podem desencadear um efeito dominó de quebras de formas difíceis de prever", segundo o documento.

"Grande parte dessa infraestrutura foi construída décadas atrás, sob a expectativa de que o ambiente ao redor permanecesse estável, ou pelo menos variasse dentro de limites previsíveis. Agora a mudança climática está alterando essa suposição", acrescentou.

Embora nem sempre seja possível dizer com precisão como o aquecimento global influenciou uma determinada tempestade, disseram os cientistas, um aumento geral nas condições climáticas extremas cria novos riscos.

Os sistemas de esgoto estão transbordando mais frequentemente à medida que as tempestades fortes excedem sua capacidade projetada. Casas costeiras e rodovias estão desabando à medida que o escoamento intensivo erode os penhascos. As cinzas de carvão, o resíduo tóxico produzido pelas usinas de queima de carvão, estão se espalhando nos rios à medida que as enchentes superam as barreiras destinadas a contê-las. Casas antes fora do alcance de incêndios florestais estão queimando em chamas que nunca foram projetadas para suportar.

Problemas como esses geralmente refletem uma inclinação dos governos para gastar o mínimo de dinheiro possível, disse Shalini Vajjhala, ex-autoridade do governo Obama que agora aconselha cidades sobre como enfrentar as ameaças climáticas. Ela disse que é difícil persuadir os contribuintes a gastarem dinheiro extra para se protegerem contra desastres que parecem improváveis.

Mas a mudança climática inverte essa lógica, tornando a inação muito mais cara. "O argumento que eu faria é: não podemos deixar de fazer isso, porque estamos absorvendo os custos", disse Vajjhala. "Estamos gastando mal".

Depois que uma longa tempestade de inverno trouxe baixas temperaturas, neve e blecautes no Texas, os residentes locais estão enfrentando a escassez de alimentos e água e os picos de preços, à medida que as temperaturas estão aumentando e as condições das estradas melhorando.

Em todo o Texas, as mortes relacionadas à tempestade de inverno continuaram aumentando. Embora dezenas de mortes tenham sido relatadas, os especialistas acreditam que o número de mortos é provavelmente muito maior, e pode levar semanas ou meses antes que a verdadeira magnitude seja conhecida. Em todo o país, o clima adverso desta temporada matou pelo menos 70 pessoas.

 

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001397609231