Contratos entre fabricantes de vacina e países de alta renda prejudicam COVAX, diz chefe da OMS

2021-02-23 11:02:06丨portuguese.xinhuanet.com

Genebra, 23 fev (Xinhua) -- O chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS) disse na segunda-feira que os acordos entre alguns países de alta renda e fabricantes de vacinas contra COVID-19 estão prejudicando a iniciativa COVAX liderada pela OMS por reduzir o número de doses que pode comprar.

"É importante notar, entretanto, que dinheiro não é o único desafio que enfrentamos. Se não houver vacinas para comprar, o dinheiro é irrelevante", disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em uma entrevista coletiva da OMS na segunda-feira.

Atualmente, alguns países de alta renda estão firmando contratos com fabricantes de vacinas que prejudicam os acordos que a COVAX tem em vigor e reduzem o número de doses que a COVAX pode comprar, disse Tedros.

"Mesmo se tivermos os fundos, só podemos entregar vacinas aos países mais pobres se os países de alta renda cooperarem no respeito aos acordos que a COVAX fez e aos novos acordos que está fazendo", disse ele.

"Isso não é um assunto de caridade. É um assunto de epidemiologia. A menos que acabemos com a pandemia em todos os lugares, não podemos acabar com ela em nenhum lugar", acrescentou.

Tedros exortou todos os países, incluindo os de alta renda, a compartilhar as doses das vacinas imediatamente e instou os fabricantes a priorizar os contratos com a COVAX e aumentar significativamente a produção das vacinas.

De acordo com a OMS, a pandemia da COVID-19 infectou mais de 110 milhões de pessoas e tirou quase 2,5 milhões de vidas até agora, e causou a perda de milhões de meios de subsistência, fechamento de escolas e crise econômica global.

"Ela expôs e explorou as falhas, desigualdades, injustiças e contradições do nosso mundo, dentro e entre os países", disse Tedros em uma outra reunião na segunda-feira.

A boa notícia é que o número de casos relatados semanalmente diminui há seis semanas consecutivas, e o número de mortes, há três. Ao mesmo tempo, o desenvolvimento e a aprovação de vacinas seguras e eficazes estão dando esperança de que essa pandemia possa ser controlada.

Como cerca de 200 milhões de doses de vacina foram administradas até agora, das quais a maioria nos países mais ricos do mundo, o chefe da OMS tem reiterado que a igualdade da vacina é "nossa maior prioridade e não vamos parar até que a obtenhamos".

Considerado como a arma mais poderosa contra a pandemia, as campanhas de vacinação com vacinas autorizadas contra COVID-19 estão em andamento em alguns países ao redor do mundo.

Outras 251 vacinas candidatas ainda estão sendo desenvolvidas em todo o mundo --70 delas em ensaios clínicos-- incluindo na Alemanha, Itália, China, Rússia, Grã-Bretanha e Estados Unidos, de acordo com os dados divulgados pela OMS em 19 de fevereiro. Fim

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001397607331