Maioria das escolas italianas reabrem conforme infecções por coronavírus parecem estagnar

2020-09-16 14:34:03丨portuguese.xinhuanet.com

Roma, 14 set (Xinhua) - O número de novos casos de coronavírus na Itália parece ter se estabilizado nos últimos dias, já que a maioria das escolas italianas reabriu na segunda-feira e o ex-primeiro-ministro, Silvio Berlusconi, foi enviado para casa para completar sua recuperação quase duas semanas após o primeiro teste positivo para o vírus.

Cerca de dois terços dos 8 milhões de estudantes italianos voltaram à escola na segunda-feira em meio a um distanciamento social estrito e regulamentos de saúde criados para conter a disseminação de COVID-19, a doença causada pelo novo coronavírus. A maior parte das escolas restantes abriu nos últimos dez dias, com cerca de uma em cada dez, principalmente escolas rurais, com abertura prevista para o final do mês.

Em entrevista ao jornal La Nazione, a virologista Andrea Crisanti disse que os próximos 15 a 20 dias "colocarão o sistema de saúde da Itália à prova" em meio ao retorno de estudantes, eleições regionais no final do mês e clima mais frio.

"Em outubro saberemos muito mais do que sabemos agora", disse Crisanti.

O retorno às aulas é o mais recente de uma série de desafios que a Itália está tentando enfrentar em meio a um aumento gradual na taxa de infecção por coronavírus do país nas últimas semanas.

Na segunda-feira, a Itália registrou 1.008 novas infecções por coronavírus e 14 mortes por COVID-19. Isso se compara a 1.458 e 7, respectivamente, do dia anterior.

O país já registrou pelo menos 1.000 novas infecções em 20 dos 24 dias de 22 de agosto. Antes do início desse período, a Itália não havia ultrapassado esse nível desde 12 de maio. Mas desde o aumento na segunda quinzena de agosto, a taxa de infecção diária ficou abaixo de 1.500 em todos, exceto 4 dias, muito abaixo dos picos de mais de 5.000 infecções por dia no final de março e início de abril, quando foi o epicentro europeu da pandemia.

A taxa de mortalidade diária tem permanecido relativamente baixa apesar do aumento de novas infecções, não ultrapassando 20 mortes por COVID-19 em um dia desde 7 de julho.

Outros indicadores importantes do coronavírus ainda são, em sua maioria, positivos.

O número de pacientes em unidades de terapia intensiva foi de 197, quatro vezes o menor nível histórico de 49 registrado em julho e 10 pacientes a mais do que no domingo. O número tem estado abaixo de 200 consistentemente desde o início de junho.

O número total de pacientes recuperados totalizou 213.950, um aumento de 316 em relação ao dia anterior.

O número total de casos ativos aumentou em 678 para 39.187, mas permaneceu abaixo de 40.000 pelo 105º dia consecutivo, começando no dia 1º de junho.

As 14 mortes desde domingo elevaram o número total de mortes para 35.624.

A alta de Berlusconi do Hospital San Raffaele em Milão foi notícia de primeira página em toda a Itália. O quatro vezes primeiro-ministro, que completará 84 anos no final deste mês, foi confirmado no dia 02 de setembro como positivo para o vírus. Berlusconi deve terminar sua recuperação em casa por mais alguns dias, enquanto prepara o Forza Italia, o partido político que fundou, para as próximas eleições regionais.

O governo disse na segunda-feira que ainda falta pelo menos um mês para a reabertura dos salões de dança e o direito dos torcedores de assistirem aos jogos presencialmente. O governo também adiou a decisão de permitir que os trens trafeguem com 80 por cento da capacidade, em comparação com 50 por cento das regras atuais.

Paolo Savona, o presidente de 83 anos dos principais mercados e valores mobiliários da Itália, CONSOB (Comissão de Empresas e Câmbio da Itália), testou positivo para o coronavírus no fim de semana. Ele estava assintomático, e toda a sua equipe foi testada e colocada em quarentena por precaução.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001393723701