(Multimídia) Tempestades deixam mais de 20 mortos e desaparecidos no sul da China

2020-06-11 14:23:42丨portuguese.xinhuanet.com

 


   Beijing, 11 jun (Xinhua) -- Mais de 20 pessoas morreram ou continuam desaparecidas após chuvas torrenciais desencadearem inundações e deslizamentos de terra no sul da China, de acordo com uma contagem baseada em relatórios oficiais locais.

   Até as 14h da terça-feira, as inundações provocadas pelas chuvas afetaram cerca de 2,63 milhões de pessoas em 11 regiões de nível provincial, informou o Ministério da Gestão de Emergências.

   As fortes chuvas forçaram a realocação de cerca de 228.000 pessoas e destruíram mais de 1.300 casas, resultando em perdas econômicas diretas de mais de 4 bilhões de yuans (US$ 566 milhões), informou o ministério.

   Na Região Autônoma da Etnia Zhuang de Guangxi, no sul da China, seis pessoas morreram e uma está desaparecida após dias de temporais.

   Até as 18h de terça-feira, cerca de 1,3 milhão de pessoas tinham sido afetadas pelas inundações, incluindo 195.800 que foram realocadas para áreas seguras, informou o departamento regional de gestão de emergências de Guangxi.

   O clima extremo tem dado um duro golpe no setor de turismo da região, que ainda sofre com a epidemia da COVID-19.

   Em Yangshuo, um destino turístico popular conhecido por suas montanhas cársticas e paisagens fluviais, as ruas foram alagadas após uma enchente repentina, forçando moradores e turistas a serem evacuados em balsas de bambu.

   O governo do distrito de Yangshuo relatou que mais de mil hotéis e pousadas familiares, além de 5 mil lojas foram inundados. Mais de 30 locais turísticos foram danificados.

   "Nossas perdas estão estimadas em 3 milhões de yuans, mas é um alívio que nenhum de nossos hóspedes tenha se ferido", disse Zhang Ting, dono de uma pousada familiar, cujos quartos foram submersos em 1 metro de água pluvial no domingo.

   Repórteres no local disseram que bombeiros, policiais e outros socorristas ficaram depois que as inundações diminuíram para ajudar a limpar os escombros e desinfetar instalações públicas.

   Na província central de Hunan, pelo menos 13 pessoas morreram em desastres provocados pela chuvas a partir de quarta-feira.

   Seis das mortes foram relatadas no distrito de Baojing, onde uma tempestade causou deslizamentos de terra e inundações, destruindo várias casas da aldeia na manhã de quarta-feira. Os desastres também deixaram uma pessoa desaparecida e outras três feridas.

   Autoridades relataram que as persistentes precipitações afetaram 321.000 pessoas em 21 distritos e cidades de Hunan, enquanto 11.000 residentes foram realocados e receberam assistência.

   Desde 2 de junho, as chuvas têm atingido grandes partes do sul da China, resultando em níveis de água perigosamente altos em 110 rios em oito regiões de nível provincial, de acordo com o Ministério da Gestão de Emergências.

   Grandes realocações também ocorreram nas províncias de Guangdong, Guizhou e Jiangxi.

   Na Província de Guangdong, no sul da China, mais de 20.000 pessoas foram realocadas após fortes chuvas, informou o departamento de gestão de emergências local na terça-feira, acrescentando que centenas de tendas, além de roupas, água potável engarrafada e comida, foram entregues às cidades atingidas de Zhaoqing e Qingyuan.

   Na Província de Guizhou, no sudoeste da China, chuvas torrenciais deixaram oito pessoas desaparecidas ou mortas, informou o departamento local de resposta a emergências, acrescentando que 2.800 pessoas foram realocadas.

   A chuva e as inundações também prejudicaram 10.700 hectares de terras cultivadas e danificaram mais de 2.800 moradias na província montanhosa, de acordo com o departamento.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001391313311