Análise de Notícias: Laços políticos entre Palestina e Israel são difíceis de serem desvinculados, apesar de abolição palestina de acordos bilaterais

2020-06-03 22:25:41丨portuguese.xinhuanet.com

Por Saud Abu Ramadan e Emad Drimly

Ramala, 1 jun (Xinhua) - Os laços políticos entre Israel e a Palestina são difíceis de serem desvinculados, embora os palestinos tenham anunciado a abolição de todos os acordos alcançados com Israel em resposta ao plano de anexação de Israel, disseram analistas políticos palestinos.

Nabil Amro, um ex-diplomata palestino, disse que "a ausência de uma trilha política para resolver o conflito entre israelenses e palestinos fez com que o relacionamento entre os dois lados fosse tão difícil de se desvincular".

"Os transitórios Acordos de Oslo haviam estabelecido um status de fato nos últimos 25 anos, que incluía laços administrativos e econômicos e coordenação da vida cotidiana que hoje é difícil pular", disse Amro.

O presidente palestino, Mahmoud Abbas, anunciou há duas semanas que o estado da Palestina e a Organização de Libertação da Palestina não estão vinculados a todos os acordos bilaterais que foram alcançados com os governos de Israel e dos Estados Unidos.

Alguns dias depois, o primeiro-ministro palestino, Mohammad Ishtaye, anunciou que o lado palestino começou a implementar a decisão da liderança no terreno e interrompeu a coordenação com Israel em todos os níveis, incluindo a cooperação em segurança.

A decisão palestina foi tomada em resposta ao plano do governo israelense de anexar o Vale do Jordão e impor soberania israelense aos assentamentos israelenses na Cisjordânia, que deve entrar em vigor em julho.

No entanto, alguns analistas políticos palestinos locais disseram à Xinhua em comentários separados que a implementação prática da decisão palestina de encerrar todos os acordos com Israel é muito complicada no que diz respeito à natureza do vínculo nos laços entre os dois lados nas últimas duas décadas.

Hani al-Masri, diretor do Centro Masarat de Pesquisas e Estudos em Ramala, disse que "a relação entrelaçada entre Israel e a Palestina é enorme, e os interesses de ambos os lados estão ligados. Portanto, será tão difícil superarem os acordos existentes".

"Implementar a decisão de encerrar todos os acordos com Israel é um desengajamento difícil e precisa de um longo processo que deve começar com etapas graduais até atingir o nível de abolição de todos os acordos e entendimentos", afirmou al-Masri.

Ele sugeriu que o lado palestino possa colocar um plano de várias etapas para retirar gradualmente todos os acordos e entendimentos alcançados com Israel.

"Então, os palestinos podem alcançar um estágio de mudança de fatos no terreno e alcançar o objetivo de acabar com a ocupação israelense", acrescentou al-Masri.

As negociações de paz entre Israel e os palestinos pararam em 2014, nove meses depois do patrocínio pelos EUA, sem alcançar nenhum avanço para resolver o conflito que vem ocorrendo há tantas décadas.

O controverso plano de paz do presidente dos EUA, Donald Trump, conhecido como o Acordo do Século, tornou mais complicado para os dois lados retomarem suas negociações de paz depois que os palestinos recusaram o plano dos EUA e o rejeitaram.

Enquanto Israel insiste em anexar cerca de 30 por cento da Cisjordânia, incluindo o Vale do Jordão e vários assentamentos israelenses, os palestinos disseram que esse plano significa que Israel está minando de propósito a visão da solução de dois estados.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001391109951