"Demonização" que EUA fazem da China pode colocar eles próprios em perigo financeiro, diz Washington Post

2020-05-23 19:54:32丨portuguese.xinhuanet.com

Nova York, 23 mai (Xinhua) -- Insultar e demonizar a China, o segundo maior credor dos Estados Unidos, apenas por razões políticas domésticas, não parece de forma alguma uma maneira apropriada, pois colocaria os EUA numa situação financeira difícil, disse o Washington Post nesta sexta-feira.

"Culpar a China pelo coronavírus pode parecer boas políticas, mas insultar um credor quando os Estados Unidos estão com um enorme volume de dívida para estimular a economia não é uma boa ideia", disse Allan Sloan em sua coluna no jornal.

Nos últimos três meses, segundo as estatísticas do Departamento do Tesouro dos EUA, a dívida nacional do país teve um aumento espantoso de US$ 2 trilhões para cerca de US$ 25,4 trilhões e continuará saltando nos próximos meses.

"Então de onde virá esse dinheiro? Historicamente, a China tem sido um grande comprador dos títulos do Tesouro (dos EUA), e ocupou US$ 1,08 trilhão deles até 31 de março, a última data em que os dados do Tesouro (dos EUA) são acessíveis. A posse da China é o segundo maior, seguindo a de US$ 1,27 trilhão do Japão", ele escreveu.

O artigo de Sloan, jornalista empresarial que trabalhava na revista Fortune antes de começar a carreira no Washington Post, lista duas razões políticas de que a administração de Trump ataca a China dia após dia.

"Primeiro, eles precisam de um bode expiatório para o impacto desastroso que a pandemia do coronavírus está causando nas vidas e bem-estar econômico dos americanos, e para divertir a atenção de suas próprias culpas", disse ele.

"Segundo, eles esperam de forma política - mesmo que não seja forma moral ou social - demonizar 'o outro lado'. Isso permite que Trump tome papel ofensivo em vez de defensivo e tente unificar os americanos sob a bandeira por meio de se afirmar o protetor do nosso país contra estrangeiros malignos", acrescentou.

Ele observou que os Estados Unidos vem tentando transferir a culpa pela pandemia da COVID-19 para seu segundo maior credor, enquanto o próprio país está com enorme deficit orçamental como parte de sua tentativa de estimular a economia e limitar o dano financeiro que a COVID-19 está inflingindo a seu povo, empresas e instituições.

Sloan também lembrou à administração dos EUA "ver se a China tenta contra-atacar Trump e minar o dólar através de vender alguns da sua posse do Tesouro ou de divulgar que acabariam seus dias de apoiar financiamento aos déficits dos EUA".

"Precisamos de financiadores, especialmente os no exterior, para ajudar financiar nossa lacuna de orçamento por meio de comprar montantes enormes de títulos de rendimento ultrabaixo", acrescentou.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001390817851