Índia entra em quarentena 4.0 de COVID-19 com relaxamentos

2020-05-21 14:34:19丨portuguese.xinhuanet.com

Trabalhadores migrantes retidos fazem fila para embarcar em ônibus que vão para suas cidades durante a quarentena prolongada para conter o COVID-19 em Ghaziabad, Índia, no dia 18 de maio de 2020. A Índia entrou na quarta fase de quarentena nacional imposta na segunda-feira para conter a pandemia de COVID-19. O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, anunciou na semana passada que a atual quarentena seria prorrogada a partir de 18 de maio. (Xinhua/Javed Dar)

Por Pankaj Yadav

Nova Déli, 17 mai (Xinhua) - A Índia entrou na quarta fase da quarentena nacional imposta para conter a pandemia de COVID-19 desde 18 de maio.

O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, anunciou na semana passada que a atual quarentena seria prorrogada a partir de 18 de maio.

Novas diretrizes foram divulgadas no domingo pelo Ministério do Interior (Segurança Interna) para a quarta fase da quarentena até 31 de maio, anunciando alguns relaxamentos, como a abertura de estádios e complexos esportivos, mas sem espectadores, permitindo a movimentação interestadual de veículos, mas com consentimento dos estados, circulação de bens essenciais e restaurantes autorizados a operarem cozinhas e entrega em domicílio de alimentos preparados.

No entanto, todos os trens, voos nacionais e internacionais, serviços de metrô, todas as escolas, faculdades, instituições de ensino, hotéis e outros serviços de hospitalidade, salas de cinema, shoppings, ginásios, piscinas, teatros, bares e auditórios permanecerão fechados, conforme ordem do governo.

A decisão foi tomada pelo governo federal depois que Modi consultou recentemente os ministros de todos os estados sobre a quarentena.

Durante a quarentena prolongada, a circulação de pessoas permanecerá estritamente proibida a partir das 19:00h até 7:00h da manhã, exceto serviços essenciais. Pessoas com mais de 65 anos, mulheres grávidas, crianças com menos de 10 anos devem ficar em casa, exceto para fins essenciais e de saúde.

De acordo com os últimos números divulgados pelo Ministério da Saúde às 8:00h da manhã de domingo, o número total de casos de COVID-19 na Índia ultrapassou a marca de 90.000, atingindo 90.927, enquanto o número de mortos era de 2.872.

O pico mais alto em um dia de 4.987 casos foi registrado de sábado a domingo de manhã. De acordo com funcionários do ministério, até agora 34.109 pessoas receberam alta dos hospitais depois de melhorarem.

"O número de casos ativos no país agora é 53.946", segundo a informação.

Domingo marca o 54º dia consecutivo de quarentena em andamento em todo o país.

O estado de Maharashtra, no sudoeste do país, continuou sendo o mais afetado, com 30.706 casos de COVID-19 e 1.135 mortes, seguido pelo estado de Gujarat, no oeste, com 10.988 casos e 625 mortes, o estado de Tamil Nadu, no sul, com 10.585 casos e 74 mortes, e Déli com 9.333 casos e 129 mortes.

Com todos os serviços de transporte, incluindo rodoviário, ferroviário e aéreo, suspensos em meio à quarentena, o êxodo de trabalhadores migrantes, que estavam presos em outros estados, para seus estados de origem continuou. Milhares deles andavam de caminhão envolvidos no transporte de mercadorias essenciais, enquanto muitos podiam ser vistos andando longas distâncias a pé.

A economia do país foi duramente afetada nos últimos dois meses de quarentena, com a agência internacional de classificação de risco Moody's no início deste mês projetando o crescimento da Índia em zero por cento para o atual ano fiscal.

Em uma tentativa de impulsionar a economia da Índia, no dia 10 de maio, o Ministério de Assuntos Internos (MAI) emitiu diretrizes para o reinício das indústrias manufatureiras, cujo objetivo era garantir a segurança de grandes indúistrias que envolviam atividades perigosas, higienização dos locais de trabalho e medidas para proteger os trabalhadores.

"Ao reiniciar a unidade, considere a primeira semana como período de teste ou experiência, garantindo todos os protocolos de segurança e não tentar não atingir metas de alta produção", disseram as novas diretrizes.

As diretrizes foram emitidas sob quatro questões diferentes: armazenamento de matéria-prima, processos de fabricação, armazenamento de produtos e diretrizes para trabalhadores.

Seguindo o exemplo do desastre ocorrido na cidade de Vishakhapatnam, no sul de Vizag, dias atrás, pelo menos 11 pessoas morreram depois que o gás "estireno" vazou de uma fábrica de produtos químicos que permaneceu fechada por mais de 40 dias, o MAI emitiu diretrizes que garantem o reinício seguro de indústrias com materiais perigosos.

Também aconselhou os governos estaduais a garantirem que o plano de gerenciamento de desastres fora das instalações das respectivas unidades de Risco Acidental Grave (MAH) esteja atualizado e a preparação para implementação seja alta.

Para garantir a segurança dos trabalhadores, as diretrizes dizem que as instalações da fábrica devem ser higienizadas 24 horas por dia.

No início desta semana, a Maruti Suzuki India Limited, maior fabricante de automóveis do país, reiniciou uma de suas fábricas no estado de Haryana, no norte do país.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001390748011