(Multimídia) Revelados mais detalhes da estação espacial da China

2020-05-18 15:52:50丨portuguese.xinhuanet.com

O novo foguete transportador chinês de grande porte Longa Marcha-5B é lançado do Centro de Lançamento Espacial Wenchang, na Província de Hainan, no sul da China, em 5 de maio de 2020. (Xinhua/Pu Xiaoxu)

Beijing, 18 mai (Xinhua) -- Após o bem-sucedido voo inaugural do foguete de grande porte Longa Marcha-5B e os testes da espaçonave tripulada de nova geração da China, foram revelados mais detalhes sobre a estação espacial do país.

A estação espacial, prevista para ser concluída em 2022, operará na órbita baixa da Terra a uma altitude de 340 km a 450 km por mais de 10 anos, apoiando experimentos científicos, tecnológicos e de aplicação em larga escala, de acordo com um relatório do Diário do Povo.

A estação espacial Tiangong, que significa Palácio Celestial, terá capacidade de acomodar três astronautas em circunstâncias normais e até seis durante a substituição da tripulação.

A estação será na forma T com o módulo núcleo no centro e uma cápsula de laboratório em cada lado. Cada um dos módulos pesará mais de 20 toneladas, com a massa total da estação em torno de 66 toneladas, disse Zhou Jianping, projetista-chefe do programa espacial tripulado da China.

Se os laboratórios espaciais Tiangong-1 e Tiangong-2 da China fossem como apartamentos de um quarto, a estação espacial seria um apartamento com três quartos, uma sala de estar, uma sala de jantar e uma sala de armazenamento, disse Zhu Guangchen, vice-projetista-chefe da estação espacial da Academia Chinesa de Tecnologia Espacial (CAST, em inglês).

O módulo núcleo da estação, chamado Tianhe, tem um comprimento total de 16,6 metros, um diâmetro máximo de 4,2 metros e uma massa de decolagem de 22,5 toneladas, sendo atualmente a maior espaçonave desenvolvida pela China.

O módulo núcleo da Tianhe será o centro de gestão e controle e o principal espaço de vivência da tripulação, e apoiará algumas experiências científicas e tecnológicas.

O espaço de vivência no módulo núcleo tem aproximadamente 50 metros cúbicos. Combinado com as duas cápsulas de laboratório, todo o espaço pode ter até 110 metros cúbicos, de acordo com a CAST.

O módulo núcleo possui duas portas de ancoragem conectadas às duas cápsulas do laboratório e três portas de acoplagem para a espaçonave da tripulação, naves de carga, entre outros. Também tem uma saída para os astronautas conduzirem atividades extraveiculares.

A primeira cápsula do laboratório, chamada Wentian, será usada principalmente para experimentos científicos e tecnológicos, além de espaço de trabalho e moradia e servirá como abrigo em emergência.

Esta cápsula é equipada com uma câmara especial para apoiar atividades extraveiculares e um pequeno braço mecânico para a instalação e operação automáticas de instrumentos extraveiculares.

Possui algumas funções importantes do módulo núcleo, o que significa que pode realizar a gestão e o controle da estação espacial, caso necessário, de acordo com a CAST.

A segunda cápsula de laboratório, chamada Mengtian, tem funções semelhantes à primeira cápsula. É equipada com uma câmara especial para suportar a entrada e saída de cargas e instrumentos com a ajuda de astronautas e braços mecânicos.

O foguete transportador Longa Marcha-2F e a espaçonave tripulada Shenzhou serão usados para transportar a tripulação e alguns materiais entre a Terra e a estação espacial. A Shenzhou pode transportar três astronautas e servir como uma espaçonave de resgate em emergência.

O foguete Longa Marcha-7 de março e a espaçonave de carga Tianzhou serão usados para transportar materiais, propulsores e instrumentos para a estação.

O foguete Longa Marcha-5B levará ao espaço o módulo núcleo e as cápsulas de laboratório, além de uma cápsula com um telescópio óptico de 2 metros de calibre, que voará na mesma órbita da estação espacial.

A cápsula do telescópio, chamada Xuntian, deve fornecer dados de observação para estudos astronômicos e físicos, ajudando os cientistas a entender melhor o universo. Durante seus 10 anos de operação, ele poderá observar mais de 40% do céu, disse Zhou.

A cápsula pode ser acoplada à estação espacial para manutenção e reabastecimento.

O diagrama mostra o procedimento de acoplagem automatizada de naves tripuladas Shenzhou-11 com o laboratório espacial Tiangong-2 em 19 de outubro de 2016. (Xinhua/Qu Zhendong)

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001390665141