Governadores do Brasil propõem renda mínima e suspensão de vencimentos de dívidas devido a coronavírus

2020-03-26 13:12:50丨portuguese.xinhuanet.com

São Paulo, 25 mar (Xinhua) -- Governadores de 26 dos 27 estados brasileiros, reunidos nesta quarta-feira através de uma videoconferência, aprovaram uma carta com uma série de reivindicações ao governo do presidente Jair Bolsonaro para fazer frente à pandemia do coronavírus.

Na carta, os governadores pedem a aplicação de uma lei sancionada em 2005, pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que prevê a concessão de uma renda básica a toda a população com um montante a ser definido com o objetivo de compensar as perdas de atividade econômica.

Os governadores também pediram a suspensão por 12 meses do pagamento das dívidas dos estados com a União, bancos públicos e organismos internacionais como o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Banco Mundial.

As reivindicações incluem "a redução da meta de superávit primário do governo federal, para evitar a ameaça de contingenciamento orçamentário".

Os governadores também afirmaram que continuarão adotando medidas de acordo com as orientações de profissionais de saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

"No que diz respeito ao enfrentamento da pandemia global, vamos continuar adotando medidas baseadas no que afirma a ciência, seguindo orientação de profissionais de saúde e, sobretudo, os protocolos orientados pela Organização Mundial da Saúde (OMS)", afirma o documento dos governadores.

A videoconferência, que contou com a participação do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, foi coordenada pelo governador Joao Doria de São Paulo, estado mais populoso do país e o mais afetado pela COVID-19, com 862 dos 2.433 casos confirmados até agora e 48 das 57 mortes.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001389190371