(Multimídia) China espera que cúpula virtual do G20 sobre a COVID-19 fortaleça solidariedade e cooperação

2020-03-26 10:39:17丨portuguese.xinhuanet.com

Os trabalhadores médicos Yang Jie, Zhang Zhijun, Li Fei, Tang Jianwei e Chen Jun, da equipe médica da Província de Jiangsu, animam um a outro antes de entrar em um hospital temporário convertido do Centro de Esportes de Wuhan em Wuhan, Província de Hubei, centro na China, em 17 de fevereiro de 2020 (Xinhua/Xiao Yijiu)

Beijing, 26 mar (Xinhua) -- A China espera que a próxima cúpula virtual extraordinária de líderes do G20 sobre a COVID-19 fortaleça a solidariedade, a cooperação e a coordenação e aumente a confiança uma vez que o mundo enfrenta a pandemia do novo coronavírus.

O vice-ministro das Relações Exteriores, Ma Zhaoxu, fez as declarações na quarta-feira, ao informar sobre a participação do presidente Xi Jinping na cúpula virtual em Beijing na quinta-feira. A cúpula será organizada em vídeo pela Arábia Saudita, que ocupa a presidência do G20 em 2020.

"Esta será a primeira cúpula em vídeo na história do G20 e também o primeiro grande evento multilateral com a participação do presidente Xi desde o surto da COVID-19", disse Ma.

"A cúpula extraordinária sobre a COVID-19, neste momento crítico, será de grande importância para a comunicação e coordenação no combate à disseminação da epidemia e na estabilização da economia mundial", afirmou.

A participação de Xi na cúpula mostra a firme determinação e senso de responsabilidade da China como um país importante no reforço da luta global contra a COVID-19, bem como sua atitude em apoiar o G20 para fortalecer a coordenação e cooperação e estabilizar a economia mundial, assinalou Ma.

A pandemia do novo coronavírus causou sérios impactos políticos, econômicos e sociais em todo o mundo. A comunidade internacional precisa urgentemente dar as mãos para combater o vírus, disse ele.

O G20 é uma plataforma importante para resposta à crise e governança econômica globais, reunindo as principais economias desenvolvidas e economias de mercado emergente. Ele desempenhou um papel importante na resposta à crise financeira internacional de 2008, mencionou Ma.

"A China está disposta a trabalhar com outros membros do G20 para facilitar os resultados positivos desta cúpula extraordinária", afirmou ele.

"O vírus não conhece fronteiras e nenhum país pode ficar imune a isso", disse Ma, acrescentando que a China quer promover a solidariedade dentro da comunidade internacional para enviar uma poderosa mensagem de colaboração e aumentar a confiança.

"Trabalhar juntos é o único meio para o mundo conseguir a vitória na luta contra a epidemia, estabilizar a economia e retomar a ordem", afirmou Ma.

Salientando a importância da cooperação internacional, Ma disse que a China, ao consolidar a prevenção e o controle da COVID-19 no país, forneceria ajuda oportuna aos países necessitados através do compartilhamento de experiências, fortalecimento conjunto da capacitação, fornecimento de suprimentos médicos urgentemente necessários e facilitação das compras de suprimentos por outros países na China.

"Esperamos que os membros do G20 se ajudem e cooperem estreitamente para proteger conjuntamente a saúde pública internacional", disse ele.

Uma vez que a pandemia causou um impacto significativo na economia global, a retomada da produção na China está desempenhando um papel importante na estabilização da cadeia industrial e cadeia de suprimentos globais, disse Ma.

A China espera que todas as partes melhorem a coordenação das políticas macroeconômicas, adotem as políticas fiscais, monetárias e estruturais necessárias, promovam a abertura do mercado, garantam uma cadeia de suprimento global aberta, estável, segura e tranquila e desempenhem um papel construtivo no aumento da confiança do mercado, disse ele.

"As pessoas devem evitar ser tacanhas e politizar a epidemia e devem trabalhar para estabelecer determinação e consensos para enfrentar os desafios juntos", disse Cui Hongjian, pesquisador sênior do Instituto de Estudos Internacionais da China, em uma entrevista à Xinhua.

Cui espera que a cúpula desenvolva planos ou princípios para os países coordenarem melhor os suprimentos médicos em todo o mundo. Também é esperado que os países se coordenem melhor ao adotar políticas fiscais e financeiras individuais após a cúpula.

Os líderes dos membros do G20 serão acompanhados por colegas de alguns países convidados, incluindo Espanha, Jordânia, Cingapura e Suíça, além das Nações Unidas, Banco Mundial e outras organizações internacionais, e os Estados presidentes de algumas organizações regionais.

Suprimentos médicos, incluindo máscaras, luvas e roupas de proteção, doados à Itália pela cidade de Lishui, Província de Zhejiang, leste da China, em 1º de março de 2020. (Xinhua)

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001389184831