Trump elogia aumento de gastos dos membros da OTAN antes da cúpula, enquanto aliados prendem respiração

2019-12-03 14:36:28丨portuguese.xinhuanet.com

Washington, 2 dez (Xinhua) -- O presidente dos EUA, Donald Trump, elogiou o aumento dos gastos em defesa por membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), depois de anos pressionando aliados com uma combinação de críticas e ameaças.

"Desde que assumi o cargo, o número de aliados da OTAN cumprindo suas obrigações mais do que dobrou", twittou Trump na segunda-feira, logo após partir da Casa Branca para a Grã-Bretanha, acrescentando que os gastos do bloco aumentaram em 130 bilhões de dólares americanos.

De acordo com números divulgados pela OTAN na semana passada, os membros da OTAN, excluindo os Estados Unidos, gastaram 43 bilhões de dólares a mais em 2018 em comparação com 2016, e as diferenças projetadas entre os anos de 2020, 2022 e 2024 e 2016 aumentarão para 130 bilhões, 246 bilhões e 400 bilhões de dólares, respectivamente.

Em uma visita a Washington em novembro, o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, destacou que os membros da OTAN estão aumentando seus gastos com defesa, em um gesto visto como um apaziguamento para Trump.

"Até o final do próximo ano, esses aliados terão acrescentado mais 100 bilhões de dólares aos seus orçamentos de defesa. Isso representa bilhões de dólares em novos equipamentos. Novos investimentos nas mais recentes tecnologias", disse Stoltenberg em um fórum do setor durante sua visita, que também incluiu uma reunião com Trump no escritório oval.

O aumento dos gastos ocorreu após anos de ameaças e críticas contra membros europeus da OTAN de Trump, que segundo analistas deram a Trump uma vitória simbólica, mas enfraqueceram a liderança dos EUA e a unidade do bloco no longo prazo.

Em uma observação chocante à revista Economist em novembro, o presidente francês, Emmanuel Macron, disse que a OTAN estava passando por "morte cerebral", apontando para a falta de liderança de Washington.

O ataque contundente foi repreendido por outros líderes dos membros da OTAN e teria irritado profundamente Trump, mas Macron se recusou a ceder à sua posição.

Trump mostrou uma atitude fria em relação à OTAN antes mesmo de entrar na Casa Branca, chamando o bloco de "obsoleto" dias antes de sua posse. Ele então parou de afirmar o artigo 5 do tratado da OTAN durante uma visita à sede da OTANn em maio de 2017, provocando preocupações sobre o compromisso dos EUA com a segurança de outros membros da OTAN.

Trump aumentou a discussão mais uma vez durante uma cúpula de Bruxelas em 2018, dizendo explicitamente que os Estados Unidos poderiam "seguir seu próprio caminho" se outros países membros não atingirem o limite de 2 por cento do PIB para gastos em defesa.

Mas os críticos de Trump subestimaram seu papel em fazer com que os aliados da OTAN paguem mais em gastos com defesa, apontando que os membros da OTAN, excluindo os Estados Unidos, aumentam seus gastos com defesa desde 2014, antes de Trump assumir a presidência.

De acordo com números da OTAN, seus membros, excluindo os Estados Unidos, gastaram 250 bilhões de dólares em defesa em 2014 e, desde então, estão subindo, esperando atingir 302 bilhões de dólares em 2019.

Em uma entrevista à imprensa na sexta-feira, um alto funcionário do governo disse que a próxima cúpula de Londres será uma "reunião comemorativa de líderes", apresentando reuniões bilaterais entre Trump, Stoltenberg e Macron, respectivamente.

Mas um relatório da Axios disse na segunda-feira que os líderes europeus estão nervosos com a mensagem de Trump durante a cúpula, dado o seu recorde nas cúpulas anteriores da OTAN.

"Tudo o que estou ouvindo é uma grande ansiedade sobre o que Trump pode fazer ou dizer", afirmou Axios, citando o ex-embaixador dos EUA na OTAN, Ivo Daalder.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001386021961