Presidente da Kansai Electric do Japão renuncia por escândalo de corrupção

2019-10-10 16:19:03丨portuguese.xinhuanet.com

Tóquio, 9 out (Xinhua) - O presidente da Kansai Electric Power Co. (KEPCO), Makoto Yagi, renunciou na quarta-feira assumindo a responsabilidade por um escândalo de corrupção em que viu vários executivos da empresa aceitarem presentes e pagamentos indevidos de empreiteiros e um ex-funcionário de uma cidade que hospeda uma de suas usinas nucleares.

Quatro outros executivos também se demitiram para assumir a responsabilidade pelo escândalo, que foi revelado há duas décadas e novamente lançou sérias dúvidas sobre a governança corporativa em empresas bem estabelecidas no Japão.

Em uma entrevista coletiva em Osaka, Yagi, 69 anos, disse que queria esclarecer sua responsabilidade no escândalo e destacou o fato que a falta de governança corporativa levou a empresa a não lidar com o escândalo.

Em uma reunião extraordinária do conselho, a KEPCO aprovou a renúncia de Yagi.

Yagi também renunciou à sua posição na Federação Econômica de Kansai, um lobby empresarial localizado em Osaka, oeste do Japão, onde atuou como vice-presidente.

O vice-presidente executivo, Ikuo Morinaka, envolvido nos negócios nucleares da concessionária, está entre os quatro executivos que também deixaram o cargo.

Foi descoberto que vinte pessoas na KEPCO receberam presentes e pagamentos em dinheiro impróprios de Eiji Moriyama, o ex-vice-prefeito da cidade de Takahama na prefeitura de Fukui, anfitrião da usina nuclear de Kepco em Takahama.

Os presentes ilícitos dados a Moriyama por representantes da KEPCO totalizaram cerca de 318,45 milhões de ienes (2,96 milhões de dólares americanos).

Um dos executivos, anteriormente encarregado dos negócios nucleares da concessionária, disse recentemente que recebeu pela primeira vez um presente que poderia ser considerado uma recompensa por conceder contratos a empresas duas décadas atrás de Moriyama, em contraste com a KEPCO inicialmente alegando que o escândalo de corrupção começou por volta de 2006 .

O executivo disse que recebeu um presente de Moriyama, que também atuou como consultor de uma das subsidiárias da empresa por mais de 30 anos, no final dos anos 90.

A KEPCO disse que um painel independente de quatro advogados agora está investigando o escândalo de corrupção e relatará suas descobertas no final de dezembro.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001384611011