China se opõe firmemente ao contato do ministro das Relações Exteriores alemão com separatista de Hong Kong, diz porta-voz

2019-09-11 11:05:04丨portuguese.xinhuanet.com

Pessoas participam de uma cerimônia de hasteamento da bandeira nacional na Praça da Bauhinia Dourada em Hong Kong, no sul da China, em 8 de setembro de 2019. (Xinhua/Li Gang)

Beijing, 11 set (Xinhua) -- A China expressou na terça-feira forte insatisfação e firme oposição em relação à Alemanha por permitir que um separatista de Hong Kong entrasse no país para se envolver em atividades separatistas anti-China, além de seu contato com o ministro das Relações Exteriores alemão.

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Hua Chunying, fez as declarações em uma coletiva de imprensa ao responder sobre a saudação, reportada pela mídia, do ministro das Relações Exteriores alemão, Heiko Maas, relativa a fiança concedida ao separatista de Hong Kong, Joshua Wong Chi-fung, líder de um grupo político que advoga a chamada "independência" de Hong Kong e sobre o encontro entre eles na segunda-feira à noite em Berlim.

"A China apresentou representações severas ao lado alemão", disse Hua.

"Os assuntos de Hong kong são puramente assuntos internos da China e nenhum governo, organização ou indivíduo estrangeiros tem o direito de interferir", disse Hua. "Estarão condenados ao fracasso quaisquer palavras, atos ou conspirações que tentem se desenvolver com forças estrangeiras e dividir a China."

Também é extremamente inadequado que alguns meios de comunicação e políticos alemães busquem notoriedade ao "fazer shows políticos" usando os separatistas anti-China, disse ela. "Isso é um desrespeito à soberania da China e uma interferência nos assuntos internos chineses".

Durante sua visita à China na semana passada, a chanceler alemã Angela Merkel expressou claramente seu apoio ao princípio de "um país, dois sistemas" e oposição à violência, apontou Hua. "Não podemos deixar de questionar qual é o objetivo da Alemanha ao permitir que Wong visite o país neste momento e se reúna com Maas."

"Pedimos ao lado alemão que cumpra suas promessas e evite enviar sinais equivocados aos separatistas radicais de Hong Kong", disse Hua.

Hua também pediu que Maas, como ministro das Relações Exteriores da Alemanha, cumpra as leis internacionais e normas básicas que regem as relações internacionais e contribua, em vez de prejudicar, o desenvolvimento dos laços China-Alemanha.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001383834011