Estudantes e entidades sindicais foram às ruas do Brasil em defesa da educação

2019-08-14 14:51:53丨portuguese.xinhuanet.com

Brasília, 13 ago (Xinhua) -- Um protesto organizado por entidades sindicais e movimentos estudantis contra a política educacional do governo e a reforma da Previdência Social reuniu nesta terça-feira milhares de pessoas em todo o Brasil.

Segundo estimativas da União Nacional dos Estudantes (UNE), as manifestações contaram com a participação de cerca de 900 mil pessoas espalhadas por 204 cidades do país que criticaram os cortes na educação e o programa federal Future-se, que pretende transferir as responsabilidades do governo para a iniciativa privada.

Ao convocar o protesto, a UNE destacou que os cortes anunciados pelo governo afetariam não somente o ensino superior, como também a educação básica, a secundária e os programas de alfabetização.

Esta foi a terceira mobilização nacional de protesto desde maio, depois que o governo do presidente Jair Bolsonaro anunciou cortes nos fundos para educação.

Segundo o Sindicato Nacional de Docentes Universitários (ANDES), desde o início do governo, os cortes na educação já somaram 6,1 bilhões de reais (US$ 1,53 bilhão).

Como aconteceu nos protestos anteriores, os manifestantes também criticaram a reforma da Previdência Social, já aprovada pela Câmara dos Deputados e que agora está em análise no Senado, além de outras ações e propostas do governo.

Parte dos cartazes e camisetas fazia referência à campanha "Lula Livre", pedindo a liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010) preso há mais de um ano em Curitiba.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001383084261