Comentário: China combate com espírito da Longa Marcha o bullying comercial dos EUA

2019-05-24 20:13:25丨portuguese.xinhuanet.com

Beijing, 24 mai (Xinhua) -- Quando os Estados Unidos usaram uma escala sem precedentes do bullying comercial e táticas de chantagem contra a China, o país asiático não teve outra escolha além de lutar com força para defender seus principais interesses nacionais.

Depois de mais de dez rodadas de consultas com os EUA, a China adquiriu uma compreensão mais profunda do capricho que os EUA demonstram e das táticas que usam quando o governo dos EUA anunciou que imporia mais tarifas a produtos chineses importados, independentemente dos progressos realizados nas negociações anteriores.

A China se preparou totalmente para uma prolongada guerra comercial com os EUA, pois parece muito possível que as fricções comerciais entre os dois países estejam longe do fim. Todo o povo chinês está pronto para embarcar em uma nova jornada da Longa Marcha, com maior coragem e resiliência, e nunca cederá ao bullying e agressão estrangeiros.

O espírito da Longa Marcha foi vital para que o Partido Comunista da China vencesse a guerra de libertação antes da fundação da República Popular da China, o que destaca a firme fé, a atitude de nunca desistir e a forte vontade de todo o Partido e de todas as pessoas para superar grandes desafios nos dias revolucionários.

Esse espírito longo tem um significado especial hoje, quando a China está lutando contra o bullying comercial nos EUA, já que o país está em uma guerra comercial dura e prolongada com eles. Por mais difícil que seja, oferece à China a oportunidade de aumentar a capacidade de conduzir sua economia por meio de desafios externos difíceis.

Recentemente, as fricções comerciais se acirraram drasticamente com as restrições norte-americanas às empresas chinesas de alta tecnologia, como a Huawei. Isso não é de surpreender, pois parece história antiga. A Huawei, entre outras companhias chinesas de tecnologia, tem estado sob escrutínio e restrições excessivas dos EUA várias vezes. Infelizmente, as empresas chinesas se tornaram um alvo fácil na guerra comercial entre os dois países.

No entanto, é claro que as restrições norte-americanas às empresas chinesas se baseiam em acusações infundadas. O governo dos EUA nunca divulgou evidências convincentes para provar que a Huawei estava envolvida em atividades de espionagem. Mas ele continua a atacar as empresas chinesas não porque tenham feito algo errado, mas porque não aceita a excelência delas.

Bloquear e restringir a Huawei torna-se uma abordagem fácil e imediata dos EUA contra a China. No entanto, isso não é um pensamento positivo. As empresas chinesas não serão intimidadas nem impedidas de continuar o desenvolvimento.

Uma grande lição dada pela guerra comercial ao povo chinês é que poderemos achar uma saída para o bullying externo somente quando nos concentrarmos em nossos próprios assuntos e nos destacarmos neles. Devemos ser confiantes de que as empresas chinesas administrarão adequadamente seus próprios negócios, sairão vitoriosas em meio ao bullying dos EUA e crescerão mais fortes do que nunca.

É totalmente absurdo ver, na era da globalização, os EUA ainda abrigando a mentalidade obsoleta da Guerra Fria. Bloquear empresas chinesas não os tornará mais fortes. Apenas sublinha a arrogância política e os preconceitos políticos deles contra a China.

Ao longo da história, a nação chinesa sobreviveu e prosperou em meio a dificuldades. O país continuará a combater a intimidação comercial dos EUA sem medo antes que a prolongada guerra comercial termine. Nós já embarcamos nesta nova Longa Marcha.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001380865731