China se opõe à retirada dos EUA de pacto nuclear

2019-02-03 09:52:33丨portuguese.xinhuanet.com

Beijing, 3 fev (Xinhua) -- A China se opõe à retirada dos Estados Unidos do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário assinado há décadas com a Rússia, destacou neste sábado Geng Shuang, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China.

"A China se opõe à retirada dos EUA e pede que os EUA e a Rússia resolvam de forma adequada suas divergências através de um diálogo construtivo", apontou.

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, anunciou nesta sexta-feira que os EUA suspenderam sua obediência ao tratado nuclear desde ontem, e que no período de seis meses concluirão a saída definitiva do pacto assinado em 1987 com a então União Soviética.

"Como um importante tratado bilateral de controle armamentista e de desarmamento, o acordo é de grande importância para suavizar as relações entre grandes potências, promover a paz internacional e regional e salvaguardar o equilíbrio e a estabilidade estratégicos globais", disse Geng, ao lamentar a retirada do EUA.

A retirada unilateral dos EUA possivelmente trará uma série de resultados negativos, e a China estará acompanhando de perto os últimos acontecimentos, ressaltou.

Em resposta a uma pergunta abordando a posição da China sobre a negociação de um novo tratado multilateral de controle de armas, Geng disse que a China se opõe à multilateralização do tratado.

A multilateralização do tratado envolve uma série de questões políticas, militares e legais que são complicadas, e está preocupando muitos países, avaliou.

"A prioridade máxima é salvaguardar e implementar bem o atual tratado, ao invés de criar um novo para substituir o antigo", completou.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001377964051