China pede que EUA lidem prudentemente com assuntos relacionados a Taiwan

2018-10-06 16:42:01丨portuguese.xinhuanet.com

Beijing, 6 out (Xinhua) -- A China rebateu na sexta-feira as acusações infundadas do vice-presidente dos EUA, Mike Pence, contra a China acerca dos assuntos relativos a Taiwan, Mar do Sul da China, direitos humanos e religião.

Pence proferiu um discurso em um think tank, na noite de 4 de outubro, alegando que a China interferiu nos assuntos internos e nas eleições dos Estados Unidos e fez acusações contra as políticas internas e externas do país.

"Existe apenas uma China no mundo e Taiwan é uma parte inalienável do território da China", disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Hua Chunying, acrescentando que os Estados Unidos não têm nenhum direito de importunar os países pertinentes que escolheram desenvolver relações com a China com base no princípio de Uma Só China.

As forças de "independência de Taiwan" e suas ações separatistas representam a mais grave ameaça à paz e estabilidade através do Estreito de Taiwan, disse a porta-voz.

"Pedimos aos Estados Unidos que acatem seriamente o princípio de Uma Só China e as estipulações dos três comunicados conjuntos sino-norte-americanos, lidem prudente e adequadamente com os assuntos relacionados a Taiwan e trabalhem com a China para se oporem e conterem as forças de 'independência de Taiwan', tendo em mente o panorama maior das relações China-EUA, assim como a paz e a estabilidade através do Estreito de Taiwan", indicou Hua.

Hua assinalou que seu país tem soberania indisputável sobre as ilhas do Mar do Sul da China e suas águas adjacentes, e que o desenvolvimento de instalações necessárias para a defesa nacional nas Ilhas Nansha, que são parte do território chinês, representa exercícios do direito de auto-preservação e auto-defesa pela China como um Estado soberano e conforme o direito internacional.

"Não tem nada a ver com 'militarização'", disse.

"Pedimos aos Estados Unidos que parem de causar dificuldades e criar tensões. Os Estados Unidos devem respeitar os esforços feitos pelas partes concernentes para solucionar o assunto via negociações e consultas", salientou Hua.

A porta-voz declarou que o governo chinês atribui grande importância à proteção e avanço dos direitos humanos, e que as pessoas de todos os grupos étnicos na China desfrutam de total liberdade de crença religiosa, conforme a lei.

O povo chinês tem mais direito do que qualquer um para avaliar a situação dos direitos humanos dentro da China, disse Hua, pedindo que o lado dos Estados Unidos "olhe no espelho e reflita sobre suas próprias questões de direitos humanos", em vez de se aproveitar disso e dos assuntos religiosos para interferir nos assuntos internos da China.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001375147471