Caso Assange afeta laços com Reino Unido, diz ministro da Relações Exteriores do Equador

2018-07-11 11:14:40丨portuguese.xinhuanet.com

Quito, 9 jul (Xinhua) -- O caso em andamento do fundador do WikiLeaks, Julian Assange, afetou a relação entre o Reino Unido e o Equador, segundo o ministro de Relações Exteriores do Equador, José Valencia.

Assange, que é australiano, pediu asilo na embaixada do Equador em Londres em 2012 e está lá desde então.

"Seria irrealista dizer que a questão de Assange não afetou nosso relacionamento com o Reino Unido. Ela foi afetada. No entanto, não entrou completamente em colapso. Ainda temos contato em várias questões", disse Valencia à Radio Sucesos, do Equador.

Ele acrescentou que o Equador quer manter um relacionamento mútuo contínuo e de alto nível com o Reino Unido, como acontece com outros países.

Referindo-se especificamente ao Reino Unido, Valência disse que "no futuro, quando a questão de Assange for resolvida em comum acordo, o relacionamento com o Reino Unido será fortalecido ainda mais e se desenvolverá em um ritmo que os dois países desejarem"

Assange pediu asilo na embaixada do Equador em Londres para evitar a extradição para a Suécia, onde é procurado para interrogatório por supostos crimes sexuais que teria cometido em 2010. Ele nega as acusações.

Em maio de 2017, o Ministério Público da Suécia colocou de lado um processo de agressão pendente contra Assange. O que pôs fim à longa batalha judicial de Assange.

A decisão supostamente retirou a ordem internacional de prisão contra ele, o que deveria permitir que Assange deixasse a embaixada sem medo de ser preso.

O Reino Unido, no entanto, se recusa a conceder-lhe passagem segura para poder viajar ao Equador. Caso Assange deixe a embaixada equatoriana, ele será preso pela polícia britânica.

Assange teme que a Suécia o entregue aos Estados Unidos, onde enfrentará acusações de publicar documentos sigilosos no WikiLeaks.

Em dezembro passado, numa tentativa de encontrar uma solução, o presidente do Equador, Lenin Moreno, deu cidadania equatoriana a Assange e pediu ao Reino Unido que lhe concedesse status diplomático, mas o pedido foi negado.

"Não acreditamos que possamos criar algo que facilite o caso sem levar em conta as outras partes - Assange e o governo britânico", disse Valencia.

"Por isso, esperamos e estamos confiantes de que tanto a equipe jurídica de Assange quanto o governo britânico possam encontrar uma solução", acrescentou.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001373164071