Tai Chi se populariza na acelerada cidade de Nova York

2018-06-11 20:32:05丨portuguese.xinhuanet.com

Por Qiu Junzhou e Yang Shilong

Nova York, 9 jun (Xinhua) -- O Tai Chi, uma antiga arte marcial chinesa que costuma ser chamada de "meditação em movimento", está se popularizando na acelerada Nova York e áreas vizinhas.

"Mais e mais pessoas vêm se juntando, não apenas chineses ou asiáticos, mas também pessoas de várias raças e origens culturais", disse Sitan Chen, fundador e presidente da Associação de Tai Chi Qigong da América (TCQAA), em entrevista à Xinhua, nos bastidores do Festival de Tai Chi e Saúde Qigong de 2018, realizado em Westbury, Nova York, no início de junho.

BENEFÍCIOS DA PRÁTICA CORPO-MENTE

Agora em seu sétimo ano, o festival de Tai Chi contou com várias apresentações, demonstrações e mini-aulas acompanhadas por dezenas de equipes da área metropolitana de Nova York.

Chen, um campeão mundial de Tai Chi que iniciou sua carreira de artes marciais aos seis anos de idade na China, iniciou o evento em 2011 com sua esposa, Xu Lin, também mestre de Tai Chi. O casal fundou o Sitan Tai Chi e Artes Marciais em 2007, em Nova York, para promover o Tai Chi e proporcionar um fórum para os interessados no antigo esporte.

"Queríamos começar algo que o público em geral se beneficiaria", disse Lin, também membro do conselho da TCQAA.

"Não são todos que podem simplesmente aprender o chinês", disse Wei Fang, membro do conselho do TCQAA. "Mas o tai chi é uma linguagem corporal; não há barreiras para aprendê-lo."

As crianças de Fang estão aprendendo Tai Chi. "Este é um tesouro cultural que nossos ancestrais nos passaram", disse Fang. "Embora meus filhos tenham nascido e sido criados nos EUA, espero que eles possam aprender sobre essa cultura e transmiti-la."

Os movimentos lentos e graciosos do tai chi são acompanhados por uma respiração circular profunda. Os movimentos funcionam com o que é chamado de "qi" ou força vital, um tipo de "fluxo" que todos têm, de acordo com a cultura chinesa.

Há evidências crescentes de que essa prática mente-corpo, originada na China como arte marcial, tem valor no tratamento ou prevenção de muitos problemas de saúde.

Esta forma suave de exercício pode ajudar a manter a força, flexibilidade e equilíbrio, e pode ser a atividade perfeita para o resto da vida, disse uma pesquisa da Escola de Medicina de Harvard.

ENTRADA NA CULTURA CHINESA

Para Qifei Huang, em seus 13 anos de idade, as artes marciais chinesas significaram um ponto de virada para o seu interesse e aceitação da cultura chinesa.

O menino cresceu nos Estados Unidos e começou a aprender artes marciais aos quatro anos de idade. "Eu não gostava de aprender chinês", disse Huang. "Mas as artes marciais me deram a chance de aprender sobre a cultura chinesa".

Fazendo parte da equipe jovem de artes marciais dos EUA, Huang teve a chance de fazer intercâmbio na China na quinta série. "Eu não conseguia me comunicar em chinês antes de fazer isso", disse Huang. "Mas eu pude quando voltei."

Falando sobre seu futuro, Huang disse: "Eu quero ser um ator. Se eu colocar artes marciais e cultura chinesa em filmes, as pessoas vão ver como é incrível."

"Tai Chi é um atalho para entender a cultura chinesa", ecoou Chen. "Não é simplesmente um esporte; a cultura chinesa, a filosofia e os ideais humanitários são todos impressos no Tai Chi".

Antonio Livio, membro da equipe de Tai Chi Qigong do The Seasons, um lar de idosos em Nova York, vem aprendendo e praticando Tai Chi por quatro anos. "Eu gosto da filosofia dos asiáticos e também de Tai chi", disse ele.

MANEIRA PERFEITA DE DESACELERAR

O Tai Chi é considerado uma prática flexível, fluida e conectada que combina artes marciais antigas, filosofia taoísta e medicina tradicional chinesa. Mais e mais pessoas no mundo estão buscando a longevidade, a redução do estresse e melhorando a saúde através das práticas mente-corpo.

"O Tai Chi é um esporte que é calmante e relaxante. É diferente das artes marciais (normais), que são muito agressivas", disse Huang.

"Especialmente em cidades maiores como Nova York, as pessoas estão constantemente distraídas e estressadas. Elas precisam manter a calma e aprender o Tai Chi. Esse tipo de estilo de vida de ritmo lento é bom para a saúde mental e física", disse Chen.

"Como um ocidental, você sabe, tudo é feito rapidamente, mas no mundo do Tai Chi você faz as coisas devagar", disse Livio. "Ensina a viver uma vida pacífica e saudável".

Jason Warshaw, que começou a prática de Tai Chi há cerca de quatro anos, concordou.

"Eu acho que a mente ocidental gosta de fazer as coisas rapidamente, e então você percebe que, talvez você possa ir um pouco mais devagar. Eles vão começar a apreciar o processo", disse ele.

"Todos nós esperamos paz, de onde vem a paz? Ela não vem da luta, vem da paz interior", disse Fang. "É sobre a harmonia entre homem e natureza. Nossos movimentos podem ser lentos, mas chegamos ao nosso destino rapidamente. Através dessa calma, encontramos a verdadeira direção da vida. Caso contrário, não importa o quão ocupados estamos, é tudo em vão."

"Há um grande valor em promover a comunicação cultural e promover esses valores", disse Lin.

UM ESPORTE PARA TODOS

A maioria das pesquisas em saúde sobre os benefícios do Tai Chi centra-se em pessoas com mais de 50 anos. Mas quanto mais cedo começa na vida, mais se obtém as recompensas, disse Chen.

"Há um grande perigo quando os idosos caem ou perdem o equilíbrio, e o Tai Chi ajuda com isso", disse Chen. " É também mais seguro e não agressivo."

"Conforme você envelhece, o Tai Chi ajuda no equilíbrio e na circulação", disse Livio, "Então, para o Qigong, ele ajuda os órgãos internos. Tudo se mistura e é muito bom para uma pessoa se manter mais móvel, mais forte e melhor com a mente ".

"No entanto, é um equívoco que apenas os idosos podem praticar o Tai Chi", observou Chen. "Os jovens aprendem a se concentrar, a se acalmar e a perseverar através do tai chi."

"O Tai Chi ajuda pessoas mais jovens com sua força mental e capacidade de se ajustar sob pressão", acrescentou Lin.

"Nossos alunos mais jovens tiveram a chance de se apresentar nas Nações Unidas com uma equipe profissional de Tai Chi da China", disse Fang. "Isso encorajou muitas crianças e seus pais a aprenderem o Tai Chi".

"Tem havido cada vez mais pessoas jovens praticando Tai Chi, e temos um grupo de jovens para competidores menores de 18 anos em nossa competição de Tai Chi em Nova York", disse Chen.

(Zhang Mocheng e Zhang Yichi contribuíram para a história.)

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001372467511