Entrevista: laços China-Moçambique mostram resultados frutíferos

2018-05-13 16:26:12丨portuguese.xinhuanet.com

Maputo, 12 de maio (Xinhua) -- Uma cooperação pragmática entre a China e a nação africana, Moçambique, está produzindo resultados tangíveis, que ajudarão a consolidar as relações bilaterais e a mostrar um modelo exemplar para a cooperação China-África, disse o embaixador chinês em Moçambique Su Jian.

Em entrevista à Xinhua no início desta semana, Su disse que a cooperação bilateral ganhou grande impulso em áreas como infra-estrutura, agricultura e intercâmbio cultural nos últimos anos.

Por exemplo, a ponte suspensa de última geração sobre a Baía de Maputo está sendo construída pela China Road and Bridge Corporation (CRBC). A ponte, com um vão principal de 680 metros e o apoio de empréstimos da China, deverá ser inaugurada no próximo mês e facilitará o tráfego da capital Maputo para o bairro de periferia de Katembe, do outro lado do oceano.

"O projeto da ponte também inclui a construção de estradas de ligação de mais de 180 km de comprimento. Ela se conectará com a fronteira da África do Sul, com potencial de impulsionar o desenvolvimento do comércio e do turismo", disse Su.

Quanto à agricultura, Su disse que um grande projeto de plantação de arroz na província de Gaza, no sul de Moçambique, está contribuindo para a segurança alimentar do país.

"Atualmente, Moçambique tem um déficit de arroz entre 400.000 e 600.000 toneladas. Se o projeto atingir suas metas estabelecidas, poderá ajudar Moçambique a lidar com o déficit", disse Su.

A fazenda de arroz Wanbao Moçambique, investida pelo Fundo de Desenvolvimento China-África, é a maior do tipo empreendida pela China na África. O projeto, um negócio abrangente que incorpora plantio, armazenamento, processamento e vendas, visa desenvolver 20.000 hectares de terras agrícolas e levará os agricultores das áreas vizinhas a cultivar mais de 80.000 hectares.

"A agricultura exige investimentos a longo prazo, o que significa que você obtém retornos para o seu investimento após longos períodos. No entanto, o projeto da fazenda de arroz realizado pela China demonstra os esforços das empresas chinesas em retribuir à África. O projeto também atende às necessidades reais de desenvolvimento de Moçambique ", disse Su.

Dados da Embaixada da China em Moçambique mostram que cerca de 100 empresas chinesas investiram cerca de sete bilhões de dólares americanos em Moçambique até maio de 2017, em áreas que incluem desenvolvimento de energia e recursos, agricultura, pesca, construção, telecomunicações e fabricação de processos.

De acordo com Su, a China tornou-se o maior investidor estrangeiro de Moçambique e um dos seus maiores construtores de infra-estruturas desde que o Fórum de Cooperação China-África foi realizado em Joanesburgo em dezembro de 2015.

Quanto aos intercâmbios culturais e pessoais, o embaixador disse que mais moçambicanos aprendem a falar a língua chinesa através do Instituto Confúcio, uma organização que promove a língua e a cultura chinesas. Em quanto isso, a China está pronta para iniciar a construção de um centro cultural no campus da Universidade Eduardo Mondlane, localizada na capital de Maputo, dedicada a mostrar os laços culturais entre os dois países.

O embaixador fez a declaração de que Li Zhanshu, o principal legislador da China, está fazendo uma visita oficial à Etiópia, Moçambique e Namíbia de 9 a 18 de maio.

Su disse que a visita de Li está destinada a elevar a cooperação pragmática bilateral na África.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001371758551