Premiê chinês pede que relações China-Japão "zarpem de novo"

2018-05-09 13:07:47丨portuguese.xinhuanet.com

Tóquio, 9 mai (Xinhua) -- O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, pediu novos esforços conjuntos da China e do Japão para que a paz e amizade entre os dois países "zarpem de novo".

Em um artigo assinado publicado pelo jornal japonês "Asahi Shimbun" nesta terça-feira, intitulado "Deixar a paz e amizade entre a China e o Japão zarparem de novo", Li escreveu: "venho aqui para promover o desenvolvimento de longo prazo, saudável e estável das relações China-Japão".

A convite de seu colega japonês, Shinzo Abe, o primeiro-ministro chinês chegou a Tóquio na noite de terça-feira para uma visita oficial até 11 de maio.

Esta é a primeira visita de um premiê chinês ao Japão em oito anos e coincide com o 40º aniversário da assinatura do Tratado de Paz e Amizade China-Japão.

Durante a visita, Li participará da 7ª reunião de líderes da China, Japão e República da Coreia, que reiniciará a interação de alto nível entre as três nações asiáticas depois de uma suspensão de dois anos e meio.

China e Japão são vizinhos importantes, assinalou o premiê. "Embora haja dezenas de voos diretos entre Beijing e Tóquio diariamente e leve apenas um pouco mais de três horas de voo entre as duas cidades, percorremos um longo caminho nos últimos anos para melhorar e desenvolver os laços China-Japão", acrescentou Li.

É benéfico para os interesses dos povos da China, Japão e de todos os outros países que os dois, que exercem influência na Ásia e no restante do mundo, fortaleçam a amizade e cooperação, afirmou.

Ele lembrou que, nos últimos anos, as relações entre os dois países experimentaram desigualdades e o intercâmbio e a cooperação em diversas áreas foram afetados.

China e Japão são a segunda e a terceira maiores economias mundiais, respectivamente, e as duas principais economias da Ásia. O primeiro-ministro chinês assinalou que pensa frequentemente que, "se as relações entre a China e o Japão puderem permanecer sempre no caminho correto de desenvolvimento saudável e estável, isso não apenas gerará mais benefícios às pessoas de ambos os países, mas também criará um impulso mais forte para a paz e a estabilidade e para o desenvolvimento e a prosperidade do Nordeste Asiático e do mundo inteiro".

Na atualidade, os laços sino-japoneses estão mostrando um ímpeto de melhoria e se encontram no cruzamento de retornar ao caminho normal, acrescentou.

Li sublinhou a importância de seguir os princípios e o espírito dos quatro documentos políticos chave assinados entre os dois países. Eles são a Declaração Conjunta de 1972 China-Japão, o Tratado de Paz e Amizade China-Japão de 1978, a Declaração Conjunta China-Japão de 1998 e uma declaração conjunta sobre o impulso das relações estratégicas e de benefício mútuo assinada em 2008.

"A realidade demonstrou que, desde que sigamos os princípios e o espírito dos quatro documentos políticos, as relações entre a China e o Japão avançarão sem contratempos. Se não, as relações sofrerão atrasos", afirmou Li no artigo.

No mesmo ano em que os países assinaram o Tratado de Paz e Amizade, a China também iniciou o histórico processo de sua reforma e abertura. "Olhando para o futuro, a China, como o maior país em ascensão, ainda considera o desenvolvimento como sua maior prioridade", assinalou o premiê chinês.

"Só com um ambiente externo pacífico e um ambiente vizinho estável, China, Japão e outros países da região podem se desenvolver em conjunto. É a nossa confiança que um caminho aberto de desenvolvimento pacífico está destinado a ser cada vez mais amplo", apontou Li.

Sobre as relações entre a China, Japão e a República da Coreia, o premiê pediu que os três países promovam a estabilidade e o desenvolvimento regionais e protejam o livre comércio e um sistema de comércio multilateral com base nas regras, acelerando o estabelecimento de uma zona trilateral de livre comércio e as negociações sobre a Parceria Econômica Abrangente Regional.

Sobre a cooperação na Iniciativa do Cinturão e Rota, o primeiro-ministro chinês disse saber que algumas companhias japonesas querem compartilhar as enormes oportunidades criadas.

Li disse que as duas economias são altamente complementares. Há amplas perspectivas para que os dois países expandam a cooperação prática nas áreas como conservação de energia e proteção do meio ambiente, inovação científica e tecnológica, manufatura moderna, finanças, economia de compartilhamento, saúde e pensões. Também há um grande potencial para que as empresas dos dois países realizem cooperação de mercado a uma terceira parte.

Durante a visita, se espera que o primeiro-ministro chinês participe da assinatura de acordos de cooperação nas áreas de saúde e ciência médica, assim como no setor de serviços e de previdência social.

Também se espera que os dois países assinem um acordo de swap. A China vai dar ao Japão uma cota de investidor institucional estrangeiro qualificado em renminbi.

O premiê destacou que os dois países agora estão diante de novas oportunidades para melhorar sua cooperação de benefício mútuo e de ganho recíproco.

Ele indicou que ambos devem fortalecer a cooperação em cultura e turismo e realizar intercâmbios em mais plataformas de forma mais efetiva.

Durante a visita, a China presenteará o Japão com um par de íbis-do-japão para refletir a amizade do povo chinês com o japonês.

Li disse que os dois países também facilitarão o intercâmbio de visitas entre seus jovens para lhes permitir a aprender um com o outro e se conhecer, a fim de que escolham o caminho para o futuro, iluminados pela história real. Fim

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001371664051