Ataque liderado pelos EUA contra a Síria irá alimentar extremismo na região: observadores

2018-04-17 13:53:06丨portuguese.xinhuanet.com

Tunis, 16 de abril (Xinhua) -- Os recentes e injustificados ataques americanos contra instalações na Síria, apoiados por forças francesas e britânicas, alimentariam o extremismo na região e atrasariam qualquer solução política, de acordo com observadores tunisianos.

Essia Atrous, editora-chefe do jornal árabe "Assabah" (A Manhã), da Tunísia, disse que os ataques dos EUA à Síria não foram uma surpresa.

Atrous disse que "o presidente dos EUA, Donald Trump, apenas realizou suas ameaças (...) que poderão alimentar a violência e o terrorismo na região", e "esses ataques (não apenas) sem provas, mas também sem a aprovação da ONU, podem levantar questões sobre a utilidade do direito e da justiça internacional. "

Neste sentido, Atrous disse ser esta uma decisão ilegal, bem como uma agressão proveniente de um sistema internacional baseado em mentiras e bandidagem.

Nizar Makni, analista tunisiano especializado na região do Oriente Médio e Norte da África, disse que o ataque é ​​uma reação direta à dominação de Bashar al-Assad sobre Ghouta, que é a principal frente nas tentativas de derrubar o governo na capital Damasco.

Em entrevista exclusiva à Xinhua, Makni disse que o ataque reflete uma manobra tática contra o epicentro da aliança triangular Síria-Rússia-Irã, que consegue suprimir grupos armados rebeldes.

"Este ataque foi realizado sem qualquer evidência a respeito do uso de armas químicas pelas forças oficiais em Douma, ou mesmo antes da chegada de especialistas em investigação. Admitindo a falta de autorização do Conselho de Segurança, tal ataque não é mais do que uma violação da soberania de um Estado membro neste Conselho da ONU ", disse Makni.

"Toda a região e as pessoas desta região estão sofrendo as repercussões de tal intervenção militar", disse Atrous.

No início do sábado, os Estados Unidos, juntamente com o Reino Unido e a França, fizeram "ataques direcionados" à Síria, afirmando que o governo sírio foi responsável pelo suposto ataque químico ocorrido em 7 de abril. Segundo os militares sírios, mais de 100 mísseis foram lançados neste ataque, que foi condenado pelo Ministério das Relações Exteriores sírio, que afirma ter violado a lei internacional e a Carta da ONU.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001371170901