Cientistas chineses e alemães encontram amido fossilizado de 280 milhões de anos

2018-03-13 16:04:38丨portuguese.xinhuanet.com

Nanjing, 13 mar (Xinhua) -- Um grupo de pesquisa da China e da Alemanha descobriu amido fossilizado que data de pelo menos 280 milhões de anos, o recorde mais antigo desse fóssil até hoje.

Os cientistas encontraram megaesporos de lycopsid, envoltos com materiais granulares, em uma jazida de carvão no distrito de Baode, na Província de Shanxi, norte da China, anunciou nesta terça-feira o Instituto de Geologia e Paleontologia de Nanjing.

Análises de raio X e de microimagem revelaram que esses megaesporos de lycopsid são compostos de carbono e oxigênio. Eles mostram semelhança notável com grãos de amido de plantas existentes em termos de tamanho, forma e propriedades óticas, indicando que eram grânulos de amido entre 280 e 290 milhões de anos atrás.

Frequentemente, o amido nos solos é dificilmente preservado por mais de 600 anos sem a proteção do grés. Porém, de acordo com Liu Feng, do instituto subordinado à Academia Chinesa de Ciências, a jazida de carvão possivelmente criou um ambiente que impediu a decomposição do amido por fungos, água e outras bactérias.

Os cientistas descobriram que o amido é muito semelhante a uma parte comestível dos elaiosomes em sementes de plantas modernas, que dependem de animais para dispersar suas sementes.

A semelhança apontou que, muito antes da aparição de aves e formigas, alguns lycopsids permianos tinham sido capazes de conduzir fotossíntese e armazenar glicose sob a forma de amido.

"As plantas estabeleceram um mutualismo com animais e atraíam caracóis, baratas e outras vidas terrestres com amido para ajudar a dispersar seus esporos", disse Liu.

Os descobrimentos foram publicados na edição mais recente da revista Geology.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001370362341