Líderes do partido "Grande coligação" identificam prioridades fundamentais para novo governo alemão

2018-03-13 15:29:48丨portuguese.xinhuanet.com

Berlim, 12 mar (Xinhua) -- Os líderes da União Democrata Cristã (CDU), a União Social Cristã (CSU) e o Partido Social-Democrata da Alemanha (SPD) revelaram as principais prioridades do novo governo federal na Alemanha, nesta segunda-feira.

Falando à imprensa antes da "grande coligação" ter assinado o acordo em uma cerimônia formal, a chanceler alemã e líder da CDU, Angela Merkel, pediu a rápida implementação das propostas políticas listadas no documento.

"Finalmente chegou a hora de começar a trabalhar", disse Merkel, em uma referência aos seis meses necessários para formar um governo de coalizão desde que as eleições federais foram realizadas. Ela destacou a necessidade dos partidos governantes renovarem uma "promessa de riqueza" aos cidadãos para tranquilizá-los diante de mudanças estruturais profundas associadas à globalização e à digitalização.

"A prosperidade do nosso país deve chegar a todos", disse Merkel. A chanceler destacou a necessidade de garantir que o impulso econômico e o baixo desemprego sejam preservados durante o próximo parlamento.

A líder da CDU também chamou a atenção para as reformas da zona do euro como uma prioridade fundamental para Berlim. Todo o gabinete federal estava convicto de que os sindicatos dos bancos e dos mercados de capitais precisavam ser preenchidos rapidamente, como um passo crucial no desenvolvimento institucional da moeda única.

OTIMISMO

Merkel advertiu os parceiros da coalizão de que "muito trabalho" os esperavam à frente, mas disse que estava "otimista" de que a CDU, CSU e SPD cooperariam em conjunto com sucesso.

Da mesma forma, o líder interino do SPD e o vice-chanceler designado e ministro das Finanças, Olaf Scholz, expressou otimismo sobre as perspectivas da "grande coligação" na segunda-feira.

Embora reconhecendo que o pacto legislativo não tinha sido um "casamento do amor", Scholz descreveu o acordo de coalizão final como um bom compromisso que "promove os interesses do nosso país e dos nossos cidadãos". No que diz respeito a Merkel, o líder provisório do SPD apontou para o desenvolvimento futuro da União Europeia (UE) como uma comunidade política e econômica e a sustentabilidade do crescimento alemão como desafios-chave aos quais os ministros foram confrontados.

O líder da CSU e ministro do Interior designado, Horst Seehofer, enfatizou ainda que o acordo de "grande coalizão" subjacente ao próximo governo federal estava exclusivamente voltado para os interesses da classe trabalhadora dos alemães.

"Estamos formando uma grande coalizão para pessoas comuns", disse Seehofer à imprensa. O líder da CSU afirmou que nunca houve um "acordo de coalizão que incluísse uma dimensão social mais proeminente" na história do país.

Após a publicação do SPD dos cargos ministeriais na semana passada, o próximo gabinete federal da Alemanha está agora completo, quase meio ano após as eleições nacionais terem sido realizadas em setembro de 2016. As negociações complexas e difíceis marcaram o período mais longo de formação do governo na história alemã.

As três partes assinam o acordo de coalizão resultante de 177 páginas na segunda-feira. Merkel está programada para ser confirmada como chanceler por um quarto mandato, pelo parlamento federal (Bundestag), na quarta-feira.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001370361121