Enfoque da China: China recebe mais graduados que estudaram no exterior

2017-09-13 13:29:33丨portuguese.xinhuanet.com

Beijing, 13 set (Xinhua) -- A China vive atualmente o maior fluxo na história de alunos que estudam no exterior.

Segundo uma pesquisa divulgada em 30 de agosto pelo Departamento de Organização do Partido Comunista da China (PCC) e outros dois órgãos estatais, mais de 2,65 milhões de pessoas que estudaram no exterior voltaram à China até o final de 2016, 70% dos quais regressaram após o 18º Congresso Nacional do PCC no final de 2012.

Somente em 2016, mais de 432 mil chineses que estudaram no exterior retornaram ao país, uma alta de 58,48% em relação a 2012, segundo uma pesquisa recém-realizada pelo Centro para China e Globalização, um importante think tank chinês. «

Segundo o levantamento, a união familiar permanece o primeiro motivo para 76% dos entrevistados, as políticas favoráveis para estudantes educados no exterior estão em segundo.

Outra pesquisa do jornal China Youth Daily (CYD) mostrou que 71% dos entrevistados concordaram que seus colegas que retornaram ao país e começaram a fazer negócios se beneficiaram das políticas.

Zhang Shuhao, empresário que fornece viagens personalizadas ao exterior, está entre eles.

"Os benefícios incluem incubadoras de projeto especiais, fundos, cortes tributários, acesso mais fácil à residência permanente em cidades de primeira linha e outros", disse ele, "Do ponto de vista empresarial, eles são bem atraentes".

Suas palavras são confirmadas pelos números. Por exemplo, a China já estabeleceu 350 parques industriais exclusivamente para chineses que estudaram no exterior, onde se localizam mais de 27 mil empresas.

Gu Zhijie, ex-pesquisador na Universidade de Agricultura e Tecnologia de Tóquio, é outro beneficiário. No verão de 2016, ele recebeu cinco milhões de yuans (cerca de US$ 770 mil) como fundos de apoio da Província de Zhejiang, no leste da China, e por isso voltou ao país para abrir uma empresa de materiais de conversão fotoelétrica.

"Você não pode obter condições empresariais tão favoráveis no Japão", assinalou ele.

De acordo com Kuang Jianjiang, secretário de educação da Embaixada da China na Grã-Bretanha, a crescente importância que o Comitê Central do PCC atribuiu nos últimos cinco anos é a maior causa do influxo de estudantes.

O caso foi semelhante para o que voltaram a procura de emprego.

"Muitas empresas de headhunting favorecem graduados que estudaram no exterior, especialmente para empregos em finanças", ressaltou Wang Yuxuan, graduado da Universidade de Miami e analista de dados em Shanghai, admitindo que mesmo sem as políticas, os retornados gozam de vantagens em alguns casos.

A pesquisa do CYD mostrou que as três maiores vantagens dos graduados educados no exterior são sua visão internacional, idiomas estrangeiros e comunicação entre diferentes culturas.

No entanto, há espaço para os retornados e governos locais melhorarem seus trabalhos.

Segundo a pesquisa da CYD, muitos retornados encontraram dificuldades em adaptar-se à sociedade e o mercado da China.

Sua falta de conhecimentos sobre a situação de emprego e as demandas de empregadores chineses, assim como a falta de orientação na direção de carreiras estão entre os principais problemas.

"Apesar das políticas favoráveis, os retornados devem aperfeiçoar suas habilidades, fazer esforços ativos para entender o ambiente nacional e aproveitar melhor as plataformas existentes", sugeriu Wang Yuxuan.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001366062681