Rússia decepcionada com resultado da votação da OPAQ sobre proposta de investigação do ataque químico sírio

2017-04-21 15:03:32丨portuguese.xinhuanet.com

Moscou, 20 abr (Xinhua) -- Os resultados da votação determinada pela Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) sobre um projeto de decisão para lançar uma nova investigação sobre um suposto ataque químico na Síria foi decepcionante e feito sob muito pretextos improváveis e pouco convincentes, disse o Ministério das Relações Exteriores da Rússia nesta quinta-feira.

A OPAQ se reuniu no início do dia para votar a proposta apresentada pela Rússia e pelo Irã para o início imediato de uma investigação completa sobre o ataque químico de 4 de abril na província de Idlib, na Síria. De acordo com a delegação britânica na OPAQ, o conselho executivo da organização "rejeitou esmagadoramente" a proposta.

"Os resultados da votação que acabou de acontecer nos perturbam (...) deve ser dito diretamente que os adversários da proposta foram principalmente do grupo ocidental." Disse o representante permanente da Federação Russa junto à OPAQ e embaixador Alexander Shulgin, em comentários publicados no site do ministério.

Shulgin questionou a credibilidade da investigação em andamento realizada pela OPAQ, especificando que não está claro onde, como e quando suas amostras foram selecionadas, especialmente porque a própria missão de averiguação nunca foi à Síria.

"O fato de que as delegações de alguns países, principalmente do grupo ocidental, estão sempre se afastando de aceitar a solução proposta por nós e pelos iranianos, sugerem que de fato não estão interessados em estabelecer a verdade", disse Shulgin, acrescentando que o lado russo está disposto a tomar todas as medidas que julgar apropriado para esclarecer o que aconteceu em Khan Sheikhun.

O diretor-geral da OPAQ, Ahmet Üzümcü, disse na quarta-feira que a missão de investigação da organização sobre o ataque químico encontrou vestígios de gás sarin nos corpos das vítimas.

Mais cedo na quinta-feira, o Ministério da Defesa russo chamou a declaração de uma conclusão "precipitada", dizendo que levanta grandes questões.

"Quem tomou as amostras, de onde e como? Quem precisamente na OPAQ examinou os bioensaios? (...) Se realmente existisse Sarin em Khan Sheikhun, como a OPAQ poderia explicar os charlatães de Capacetes Brancos pulando no vapor de Sarin sem qualquer proteção? Todos viram.” Disse o porta-voz do ministério, General Igor Konashenkov.

"Gostaríamos de receber de Ahmet Üzümcü respostas claras a todas essas perguntas o mais rapidamente possível", acrescentou.

"Somente realizar uma investigação objetiva do incidente no local, em Khan Sheikhun, ajudará a estabelecer a verdade sobre as questões do que realmente aconteceu lá e quem deve assumir a responsabilidade pelo ataque", disse Konashenkov.

Os Capacetes Brancos, uma organização voluntária que opera em áreas controladas pelos rebeldes da Síria com financiamento dos EUA, Reino Unido e outros governos ocidentais, tem sido repetidamente acusada pelo Ministério das Relações Exteriores russo de produzir relatórios falsos.

010020071380000000000000011100001362261591