China continua sendo o motor do crescimento global

2017-04-21 13:01:35丨portuguese.xinhuanet.com

Beijing, 21 abr (Xinhua) -- O crescimento econômico de 6,9% da China no primeiro trimestre, melhor que o esperado, provou mais uma vez que a segunda maior economia do mundo continua sendo um importante motor do crescimento global.

A leitura da cifra, o maior aumento em 18 meses, ficou acima da meta de 6,5% do ano inteiro e o aumento de 6,8% registrado no quarto trimestre de 2016.

Com base na cifra melhor que o esperado, o Fundo Monetário Internacional (FMI) atualizou na terça-feira sua previsão sobre o crescimento da economia chinesa em 2017 e 2018 para 6,6% e 6,2%, respectivamente, 0,1 e 0,2 ponto percentual maior que sua previsão em janeiro.

Com a forte perspectiva da economia chinesa, a previsão para o crescimento global em 2017 também foi elevada pelo FMI para 3,5%, com alta de 0,1 ponto percentual em relação à previsão em janeiro.

A Organização para a Cooperação Econômica e Desenvolvimento apontou em sua Pesquisa Econômica da China 2017 que "a economia chinesa continuará sendo o principal motor do crescimento global no futuro próximo", pois o PIB per capita do país continua com a tendência de duplicar entre 2010 e 2020.

MOTOR DO CRESCIMENTO GLOBAL

Contra a situação desfavorável da economia mundial, o PIB chinês cresceu 6,7% anualmente em 2016, contribuindo para mais de um terço do crescimento mundial, mais que qualquer outro país, segundo dados do Banco Mundial.

A economia chinesa continuará sendo um poderoso motor para o crescimento econômico do mundo em 2017, pois os fundamentos para o crescimento chinês de longo prazo e a estrutura econômica do país estão sendo otimizadas via aumento de importância dos setores de consumo e serviços, segundo Cai Zhizhou, pesquisador de macroeconomia da Universidade de Beijing.

No primeiro trimestre, 77,2% do PIB foi impulsionado pelo consumo, 12,6 pontos percentuais a mais que o resultado de 2016. No mesmo período, o setor de serviços representou 56,5% da economia total, 17,8 pontos percentuais a mais que a indústria secundária, de acordo com dados oficiais.

O forte poder de consumo significa grande potencial de mercado para o comércio internacional de mercadorias e serviços, e maior oportunidade de cooperação para o mundo, disse Gao Yuwei, analista do departamento de pesquisa do Banco da China.

Dados da Organização Mundial do Comércio mostraram que a China manteve sua posição como o maior exportador de mercadorias em 2016 pelo oitavo ano consecutivo. A China foi o segundo maior importador no mundo nos últimos oito anos.

MAIOR ESPAÇO PARA REFORMA

O crescimento no primeiro trimestre forneceu oportunidades para o governo promover a reforma estrutural, conter a expansão do crédito e melhorar a eficiência.

A China continuará priorizando a redução do excesso de capacidade de produção, o controle do aumento do crédito, a diminuição da alavancagem da dívida do setor corporativo e a reforma das empresas estatais, segundo um relatório recente do Banco Mundial.

O relatório sugeriu que o governo chinês continue as reformas estruturais de longo prazo, apoie os novos motores de crescimento da economia e facilite a transição da economia para serviços e produtos de alto valor agregado.

O Banco Asiático de Desenvolvimento (BAD) também assinalou em seu relatório a importância para a China acelerar as reformas estruturais a fim de impulsionar a produtividade e o crescimento sustentável.

O forte consumo, apoio fiscal para a infraestrutura e reformas estruturais para melhorar a produtividade na indústria manterão a economia chinesa em um terreno sólido, segundo o BAD.

010020071380000000000000011100001362258801