Fusão e aquisição das empresas chinesas no exterior desacelera entre janeiro e março

2017-04-21 13:01:35丨portuguese.xinhuanet.com

Beijing, 21 abr (Xinhua) -- O investimento no exterior das empresas chinesas desacelerou no primeiro trimestre, já que os reguladores fizeram medidas para conter o crescimento imprudente do setor, segundo um relatório da companhia de auditoria PricewaterhouseCoopers (PwC).

As empresas chinesas informaram 142 fusões e aquisições no exterior no primeiro trimestre, diminuindo 39% em relação ao primeiro trimestre do ano passado.

Em termos dos valores, as fusões e aquisições das empresas chinesas atingiram US$ 21,2 bilhões, uma queda anual de 77%, segundo o relatório da PwC.

Chen Chao da PwC atribuiu a desaceleração ao endurecimento dos requisitos dos reguladores chineses no investimento no exterior e às crescentes incertezas mundiais.

Dados anteriores da PwC mostraram que as fusões e aquisições da China subiram 246% em valor, chegando a US$ 221 bilhões em 2016, mais alto que o combinado dos quatro anos anteriores.

Observando uma "tendência irracional" em investimento no exterior, as autoridades chinesas estabeleceram normas mais rigorosas e aconselharam as companhias a fazer decisões de investimento mais cuidadosamente.

Em uma entrevista coletiva realizada no âmbito da sessão parlamentar anual do país no último mês, o presidente do banco central Zhou Xiaochuan disse que o país tem testemunhado um investimento no exterior superaquecido e rápido em indústrias como esportes e entretenimento, que serve pouco à economia da China e também não é bem-vindo no exterior.

Ao prometer esforços para conter a tendência, Zhou reiterou a posição do governo de apoiar e iniciar negócios para aprofundar a cooperação mutuamente benéfica entre a China e outros países.

010020071380000000000000011100001362258791