China e Nova Zelândia iniciarão diálogo sobre atualização de ALC no final de abril

2017-03-28 11:00:36丨portuguese.xinhuanet.com

NEW ZEALAND-WELLINGTON-LI KEQIANG-PRESS CONFERENCE

O premiê chinês Li Keqiang (e) e seu homólogo da Nova Zelândia, Bill English, participam de uma conferência de imprensa conjunta após conversações em Wellington, Nova Zelândia, em 27 de março de 2017. (Xinhua/Li Tao)

Wellington, 27 mar (Xinhua) -- A China e a Nova Zelândia concordaram em iniciar no fim de abril as conversações sobre a atualização de um Acordo de Livre Comércio (ALC), que entrou em vigor em 2008.

O consenso foi alcançado durante a atual visita do primeiro-ministro chinês Li Keqiang ao país oceânico, cuja agenda tinha entre suas prioridades falar sobre a atualização do acordo.

Em uma coletiva de imprensa conjunta realizada depois da reunião com seu homólogo neozelandês, Bill English, Li assegurou que atualizar o ALC fomentará o desenvolvimento dos laços econômicos e comerciais bilaterais e representará mais benefícios para ambos os povos.

As negociações se concentrarão em investimento, comércio de serviços, quarentena de animais e plantas, princípio do lugar de produção original, economia e tecnologia, comércio eletrônico e políticas de competência, conforme explicou o embaixador chinês na Nova Zelândia, Wang Lutong.

"O ALC China-Nova Zelândia é um dos acordos com maior padrão que a China tem assinado com os países desenvolvidos. Ambas as nações estabeleceram boas relações comerciais de longo prazo, e o crescimento do comércio bilateral ultrapassou o nosso crescimento econômico", assinalou Li.

O primeiro-ministro chinês também pediu que as duas nações protejam de forma conjunta a economia aberta e o livre comércio, assim como a estabilidade e a paz da região e do mundo.

A China importa um terço dos produtos lácteos neozelandeses. English afirmou que esses artigos, além de muitos outros exportados ao país asiático, terão a qualidade que os consumidores chineses esperam.

Com o ALC, uma grande série de produtos, especialmente os relacionados à saúde, são mais demandados pelos consumidores chineses, disse English. A Nova Zelândia, acrescentou, trabalhará com as autoridades chinesas na segurança alimentar para garantir que todas suas mercadorias cumpram os padrões requeridos.

Na segunda-feira, a China e a Nova Zelândia assinaram diversos documentos de cooperação, entre eles um plano de ação para colaborar na mudança climática, conceder novo acesso ao mercado chinês à carne refrigerada e intensificar a cooperação sobre a Iniciativa do Cinturão e Rota.

Depois de quatro dias de visita oficial à Austrália, Li chegou a Wellington no domingo para uma visita oficial à Nova Zelândia.

 


010020071380000000000000011100001361619571