Peru é atingido por escassez de água potável e número de mortos em inundações ultrapassa 70 pessoas

2017-03-20 15:54:12丨portuguese.xinhuanet.com

Lima, 19 de mar (Xinhua) -- Transportando garrafas, baldes e outros recipientes, milhares de moradores de Lima estão nas ruas em busca de água potável, já que restrições ou cortes afetaram a capital do Peru pelo quinto dia consecutivo.

Uma evidência visível da magnitude da crise é que a piscina da Praça do Peru, logo ao lado do palácio presidencial, foi esvaziada por centenas de pessoas. Outras fontes públicas também ficaram vazias, apesar das centenas de caminhões-tanque distribuindo água pela cidade.

A escassez de água deve-se aos deslizamentos de lama e pedra que caíram no rio Rimac e outros afluentes bases da capital. O resíduo sólido sobrecarregou a capacidade de tratamento da cidade de La Atarjea para transformá-la em água potável.

"Não podemos entregar água turva, água com terra, se fizermos isso (...) causaremos danos permanentes," disse Rudecindo Vega, presidente do serviço de água da cidade de Lima, SEDAPAL, explicando a situação atual à imprensa.

Os suprimentos de água engarrafada praticamente desapareceram das lojas devido a altas demandas, enquanto certas pessoas aproveitaram a situação e venderam água a um preço altamente inflacionado.

A situação tornou-se crítica em áreas mais populosas de Lima e subúrbios, onde a água, se tornou escassa para beber e normalmente a água armazenada em cisternas para ser usada em parques está esgotada.

O primeiro-ministro, Fernando Zavala, alertou aos moradores de que devem racionar a água potável, enquanto expressam a esperança de que as fortes chuvas cessem e que a SEDAPAL possa começar a processar a água novamente.

Embora pareça contraditório, o Peru tem muitas fontes de água potável. No entanto, o acesso a ela não atinge seus 30 milhões de habitantes. Oito milhões de peruanos não têm água potável e são obrigados a confiar em caminhões-tanque, geralmente não recebendo o suficiente para as exigências sanitárias básicas.

O último relatório do Centro de Operações para Emergências Nacionais na noite de sábado mostrou que o número de mortos em todo o país subiu para mais de 70, com 170 feridos e nove desaparecidos.

72.115 pessoas perderam suas casas, 567.551 pessoas foram afetadas e 119.084 edifícios foram danificados.

Estes números poderão aumentar, pois são previstas mais chuvas em abril no Peru, que podem afetar áreas mais remotas do país.

010020071380000000000000011100001361427841