Perspectivas da indústria cinematográfica de 2017 por um cineasta de Hollywood

2017-01-04 13:33:20丨portuguese.xinhuanet.com

Los Angeles, 31 dez (Xinhua) -- O ano de 2016 testemunhou um bom momento para a bilheteria norte-americana, que cresceu a ponto de ser o maior ano da história.

Os espectadores nos Estados Unidos e no Canadá gastaram 11,35 bilhões de dólares até o final de 2016, de acordo com dados da comScore, que rastreia gráficos semanais e vendas de ingressos para lançamentos norte-americanos.

Esse número mostra uma melhora de 1,9% em relação ao recorde de 11,14 bilhões de dólares de 2015 e ultrapassa em 7,5% a receita total de 2014.

Graças a filmes como "Finding Dory", "Captain America: Civil War", "Rogue One: Uma História de Star Wars", "The Secret Life of Pets", "Captain America: Civil War" e "The Jungle Book", a bilheteria anual bruta subiu para uma quantia elevada.

Entretanto, o público está farto da longa dependência de Hollywood de filmes de sequência. A falta de histórias originais vem sendo criticada há algum tempo.

“Existe um velho ditado que diz “não há nada de errado com a indústria da imagem que alguns bons filmes não possam resolver", disse o ex-vencedor do Oscar, o cineasta americano Richard L. Anderson, à Xinhua no final de 2016.

"Mas, como minas de diamantes, encontrá-los (bons filmes) é a parte mais difícil, mesmo os melhores têm seu ano difícil", disse Anderson, acrescentando: "Se tivessem ESP, o Steven Spielberg faria o 'The BFG' ou o Lee Ang escolheria 'Billy Lynn's Long Half Time Walk ', mas os artistas continuarão a criar aquilo que os inspira e esperam que o mundo concorde ".

O documentário de Anderson "Behind Bayonets and Barbed Wire", que é uma co-produção com a China, conta histórias de soldados americanos que foram capturados por japoneses e presos em um campo de prisioneiros na cidade de Shenyang, no nordeste da China, estreou nos Estados Unidos.

"Pessoalmente, tive um bom ano e estou ansioso para desenvolver alguns outros projetos de cinema no próximo ano", disse Anderson.

Sobre as perspectivas da indústria cinematográfica para o próximo ano, ele disse à Xinhua que, "Em geral, eu acho que a indústria de filmes continuará praticamente como tem sido nos últimos anos. O ano de 2016 teve recorde de bilheteria nos EUA , algo que pode ser díficil de superar, mas eu não acho que o número para cima ou para baixo será muito diferente no próximo ano. "

"A bilheteria da China se estabilizou no ano passado, talvez porque o crescimento fenomenal do passado seja difícil de se sustentar. Há um limite de cinemas que podem ser construídos em qualquer área do setor imobiliário, o mesmo vale para postos de gasolina e Starbucks. Mas ainda há muito dinheiro a ser investido na indústria de entretenimento, porque as pessoas querem sair para se divertir com sua família e amigos. "

Em sua opinião, a bilheteria dos cinemas será afetada por sites de vídeo e entretenimento doméstico. "Com telas de TV cada vez maiores e velocidades de download mais rápidas, além da tarifa menor, o orçamento mais barato vai continuar a crescer como o negócio de ‘pedir comida em casa’, da mesma forma que os filmes curtos da era passada se tornaram as séries de televisão de hoje em dia.

Para 2017, Anderson deseja que existam roteiros mais originais e melhores filmes, em vez de filmes de sequência.

"A longa dependência de Hollywood de filmes de sequências a mordeu na carteira em 2016, então talvez ideias originais sejam o caminho a seguir para o próximo ano, embora a Disney pareça estar fazendo muito bem filmes como ‘Star Wars’ e remakes de ação de seus clássicos animados. Ainda assim, eu evitaria fazer filmes com um 'II' ou 'III' no título por enquanto ", observou ele.

010020071380000000000000011100001359542021